Luciene superfatura cestas básicas para lograr o Tesouro Municipal

Mais uma ação transcorre na Justiça em desfavor da prefeita de Bayeux, Luciene Gomes, uma recordista nesta modalidade haja vista o amontoado de processos que têm por alvo a sua gestão e a sua pessoa, uma refinada agressora dos valores que norteiam a probidade administrativa em todos os sentidos.

Luciene fraudou as cestas

Luciene aparentemente e de acordo com as ações, não perderia oportunidade nem tempo para arrombar os cofres da edilidade que a ingenuidade eleitora do município lhe confiou.

Desta vez, uma Ação Popular movida pela ex-vereadora Lucília Luiz de Freitas acusa Luciene de licitação fraudulenta para adquiri 6 mil e 500 cestas básicas, no valor total de R$ 434.850,00 com superfaturamento de 10%.

O contrato foi reajustado por uma segunda determinação da prefeita passando o valor unitário da cesta de R$ 60,94 para R$ 66,90, o que resultou num aumento de preço de R$ 6,50 causando um dano de R$ 42.500,00 que ninguém sabe em que bolso foi parar.

Mais o que causa mais estarrecimento é que a empresa de Jaqueline Ferreira da Silva ME, inscrita no CNPJ sob o número 17.428.978.0001, não apresenta a menor condição física para armazenar a quantidade de feiras contratadas, funcionando precariamente ao lado de um bar na rua Waldemar Naziazeno, 460, João Paulo II, João Pessoa.

Esse seria mais um episódio dos muitos que denigrem a gestão desse flagelo que empunha a Bíblia para enganar os incautos.

Vem mais coisa.