Jornalista paraibano morre no Chile em decorrência de problemas cardíacos

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) lamenta a morte do jornalista Sebastião Barbosa, 83 anos, ocorrida na noite desta sexta-feira (03), em decorrência de problemas cardíacos.

Barbosinha escreveu uma página na história da Imprensa paraibana

Barbosinha, como era conhecido o jornalista, estava internado em um hospital da cidade de Santiago, no Chile, onde residia há cerca de 10 anos. O velório e sepultamento acontecem na capital chilena.

Barbosinha nasceu na cidade de Alagoa Grande e começou a carreira na Rádio Tabajara, aos 22 anos. Atuou também nos jornais Correio da Paraíba, O Norte e A União.

Durante muitos anos foi presidente do Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa da Paraíba, diretor de Comunicação da Prefeitura de João Pessoa e assessor de imprensa da Câmara Municipal de João Pessoa.

O jornalista é autor de três livros: “O Cotidiano de um repórter – a história que vivi”, “A Mão Armada do Latifúndio” e “Brasil – o país da impunidade”.

A história profissional de Barbosinha foi marcada pela coragem e pelas entrevistas exclusivas que conseguia, no tempo em que o jornal e o rádio eram as principais fontes de informação.