João Azevêdo parabeniza Polícia Civil por prisão de miliciano acusado de ordenar morte de Marielle Franco

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania) parabenizou, através de publicação em suas redes sociais, a Polícia Civil do estado pela prisão de um chefe de milícia procurado pela polícia do Rio de Janeiro.

Almir Rogério Gomes da Silva é apontado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como um dos chefes da Milícia da Gardênia Azul e do Morro do Tirol, também acusado de ordenar a morte da vereadora pelo Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL), ocorrida em março de 2018.

A prisão foi realizada por policiais da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), no município de Queimadas, a cerca de 140 km de João Pessoa. O detido estaria na companhia de outro homem, que também foi preso. A operação atendeu a um pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), que investiga o caso.

De acordo com o delegado Diego Beltrão, da Draco, as investigações descobriram que esse homem cometeu outro assassinado naquele estado, no dia 3 de junho deste ano, o que pode ter sido o motivo para ele fugir para a Paraíba.

“Parte dos milicianos ligados ao homem capturado em Queimadas hoje foi presa em operações policiais naquele estado. Mas ele, que é um dos chefes desse grupo, conseguiu escapar dessas investidas. Trata-se de um criminoso muito perigoso, com indícios fortes de que estava traficando drogas e planejando ataques a instituições financeiras no nosso estado”, disse o delegado.

Autoridades policiais do Rio de Janeiro já foram informados da prisão de Almir na Paraíba e, segundo Beltrão, confirmaram a periculosidade do criminoso.

Veja a publicação de João Azevêdo:

João Azevêdo
@joaoazevedolins
Venho parabenizar a Polícia Civil da Paraíba, que prendeu hoje um homem apontado pelo MP do Rio de Janeiro como um dos chefes de milícia daquele estado e suspeito de ser o mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes.