“Há uma discrepância entre a Secretaria de Saúde da Paraíba e algumas prefeituras” alertou Raniery Paulino, sobre os números divulgados nos boletins do Covid19

O deputado estadual Raniery Paulino, cobrou neste sábado (24), um pedido de informação da Secretaria de Saúde da Paraíba quanto a discrepância dos números divulgados nos boletins do Covid19, na Paraíba.

Deputado quer transparência nos números do Covid19

“Há uma discrepância entre a Secretaria de Saúde da Paraíba e algumas prefeituras, Guarabira por exemplo, quanto aos números divulgados nos boletins do Covid19. Questionarei formalmente este descompasso. As estáticas servem para nortear as tomadas de decisões, daí carecem ser as mais precisas possíveis.” alertou Raniery.

Vivenciando de incertezas e inseguranças, no município de Guarabira, existem números que evidenciam a falta de compromisso por parte das gestões municipais e estaduais, na Rainha do Brejo. Em recente boletim, foi constatado que, em Guarabira, enquanto a secretaria municipal de Guarabira evidenciou 257 casos confirmados o boletim da SES divulgou um total de 354 casos confirmados gerando uma insegurança.

” Esperamos que não exista por parte dos poderes a omissão de informação. Estaremos fiscalizando e observando estas falhas nos dados apresentados no controle dos testes do COVID-19. Esperamos o mais breve possível a transparência com os números através da Secretaria Municipal de Saúde de Guarabira e Secretaria de Saúde da Paraíba” afirmou Paulino.

Na oportunidade, Raniery ainda reiterou a solicitação ao Governo da Paraíba para equipar o Sistema de Saúde do Brejo paraibano.” o Brejo Paraibano não tem estrutura adequada para o atendimento de urgência para o Covid19 consoante a inspeção do CRM. Tenho feito reiterados apelos ao Governo da Paraíba para equipar nossa região. E mais uma vez exorto os líderes de todos os segmentos, a sociedade representativa, entidades e principalmente os brejeiros para uma grande união de forças para pressionar o Poder Executivo Estadual, Municipal e Federal para implantarmos leitos de uti, para nossa região.” cobrou.

ASCOM-RP