Favorecido pelos microfones e câmeras, Nilvan ganha às ruas, abraça velhos e crianças, e faz de RC escada para alcançar o Paço Municipal

O radialista Nilvan Ferreira ganhou as ruas para fortalecer sua postulação de disputar a prefeitura de Capital. Confiado e beneficiado pela exposição diária em um dos principais sistemas de comunicação, Nilvan inicia uma trajetória percorrida por outros colegas que chegaram ao ápice da carreira política, manuseando os microfones e as câmeras.

O velho hábito de agarrar criancinhas também inspira Nilvan

Num clima pesado, onde reputações se arrastam na lama das denúncias, Nilvan adota a postura de paladino, de defensor da Justiça e advogado dos excluídos, tirando proveito das ondas do rádio e da TV para penetrar recintos, aonde os adversários só poderão entrar se convidados.

Nilvan embarca na aventura do voto seguindo outras personalidades midiáticas que se deram bem na política apoiados pela audiência de programas que conduziam das cabines de rádio e TV, ao exemplo do Celso Russomano, que comandava um programa na TV Record, pautado na defesa do consumidor e hoje detém um mandato de deputado federal e é sempre cogitado para disputar cargos majoritários.

Nem velhos nem crianças escaparam do candidato que quer ser o contraste da política

Outros profissionais do rádio e da TV já enveredaram pela trilha que Nilvan pretende percorrer nas eleições do próximo ano, um deles, o mais famoso, e que atingiu o objetivo, Jota Junior, eleito prefeito de Bayeux com consagradora votação, mas que, ao final revelou-se uma tremenda decepção, já que não conseguiu colocar em prática o discurso que o credenciou diante do eleitor.

Nilvan entra na arena em um momento muito propício para quem tem microfones e câmeras a disposição e disposição para retalhar a reputação dos adversários notadamente aquele que lidera as intenções de voto mergulhado em escândalos que já renderam prisões de ex-auxiliares.

Nas fotos, Nilvan prova que também calça 40: na feira, ninguém escapou dos abraços do radialista

Comandando um programa que é um dos mais tradicionais do sistema em que trabalha – o Correio Debate, cuja audiência varre a cidade e o estado, Nilvan tem centrado fogo no ex-governador Ricardo Coutinho a quem provoca e estraçalha diariamente relacionando o concorrente aos fatos desabonadores que a Operação Calvário tem exposto ao conhecimento da Opinião Pública paraibana.

A estratégia de Nilvan de imolar Ricardo cotidianamente tem surtido efeito e o radialista já ocupa a segunda colocação na preferência do eleitor embora ainda bem distante do ex-governador.

Empenhado em encurta o rabo grande de Ricardo, Nilvan esquece que também tem rabo e que vai chegar a hora de explicar o caso das etiquetas do Paraguai – aquelas que vendia na sua loja comercial – assim que os demais concorrentes perceberem que está polarizando a disputa ao concentra nele a alternativa para derrubar o favoritismo do socialista.

Nilvan segue apontando o dedo para o rabo dos outros

A duplicidade de comunicador e candidato deve estancar quando começar valer os prazos eleitorais, retirando de Nilvan o microfone e as câmeras, quando então sua exibição diária e sua interação com o eleitor ficará restrita aos palanques e comícios.

Agora, as fotos distribuídas pelos simpatizantes de sua candidatura mostram e confirmam que, se Nilvan pretende inovar o estilo de fazer política abraçar feirantes, velhos e crianças, é uma prática antiga, decadente e recorrente de políticos que amam e adotam a demagogia como instrumento para chegar ao Poder.