Expedito Pereira foi morto por causa de patrimônio, conclui polícia

O ex-prefeito de Bayeux, na Grande João Pessoa, Expedito Pereira, foi morto por causa de disputas por patrimônio. A conclusão é da Polícia Civil, que fechou o inquérito criminal que apurou circunstâncias, a autoria e a materialidade do crime ocorrido em João Pessoa, no dia 9 de dezembro de 2020.Expedito foi assassinado na Avenia Sapé, no bairro de Manaíra. A vítima foi atingida por dois disparos de arma de fogo, após aproximação do executor, que trafegava pela via pilotando uma motocicleta. Dois suspeitos estão presos e um está foragido.

Vítima foi atingida por dois tiros, após aproximação do executor, que trafegava pela via pilotando uma moto

“As investigações da Polícia Civil apontaram para a identificação tanto do executor, quanto dos idealizadores do crime, sendo um deles, inclusive, sobrinho e pessoa de total confiança da vítima”, lembrou a delegada Emília Ferraz, da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa da Capital.

O inquérito policial chegou ao “indiciamento por homicídio duplamente qualificado, mediante emboscada e em concurso de pessoas, e para assegurar a ocultação de outros crimes, tendo os autores agido delitivamente para encobrir a dilapidação do patrimônio da vítima”.

Segundo a polícia, o inquérito foi completamente aceito pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), que já ofereceu a denúncia, e assim como a Polícia Judiciária, representou também pela conversão da prisão temporária dos suspeitos em prisão preventiva. O procedimento ainda está sob a análise do Poder Judiciário.

A polícia pede que a população ajude a localizar o suspeito foragido. Caso haja informações, basta ligar no 197 e, de forma anônima, repassar denúncias que possam ajudar na busca pelo procurado.