Pela internet: Empresa improvisa em CG e concede bônus para funcionários trabalharem em casa

Nos tempos do coronavírus muita coisa surgiu de bom e de ruim, umas que diminuem a raça humana, colocando-a nos limites da estupidez, e outras que a elevam aos patamares da semelhança ao Criador no que existe de mais digno em termos de cooperação e solidariedade.

Com essa mensagem empresa se adapta aos tempos do coronavírus

Um dos aspectos mais discutidos e que mais acirramento causou sem dúvida foi a questão da quarentena para as atividades econômicas, paralisadas para restringir a contaminação.

Empresas, lojas e estabelecimentos diversos fecharam as portas e muitos protestaram interpretando as medidas de prevenção como ataques ao Governo provocando reações furiosas e apaixonadas, onde alguns exaltados terminaram pagando com a vida o menosprezo aos decretos governamentais.

Cinco mil funcionários trabalham em casa protegidos do contato

Mas, do meio dessa balburdia saíram algumas medidas que realçam a capacidade de improvisação como resposta à calamidade e de solidariedade promovida por empresas dispostas colaborar e proteger seu quadro de funcionários como fica constatado no anúncio acima da AeC para assegurar o isolamento e não afetar sua atividade de prestadora de serviços essenciais.

A empresa anuncia que estará concedendo um abono de R$ 80,00 a partir da folha de pagamento deste mês de abril para quem tem internet própria e para quem não tem ela providenciará a instalação sem ônus para o empregado, mas sem direito ao abono.

Aqui, na AeC, as atividades não pararam nem diminuíram

Nunca é demais lembrar que a AeC tem, só em Campina Grande, algo em torno de 5 mil funcionários na sua imensa maioria jovens, até 30 anos de idade, que continuam desenvolvendo suas funções e atendendo as determinações preventivas do Mistério de Saúde.

Fica o exemplo da AeC para os que acreditavam que não havia soluções para preservar a economia do país. Apenas com criatividade, compromisso público e zelo pelos funcionários, a empresa continua desenvolvendo suas atividades, sem parar a locomotiva do Progresso sem restringir sua capacidade de atendimento e o melhor – sem expor seu valioso patrimônio humano