Em comemoração ao Dia do Palhaço, Funesc leva espetáculos a quatro bairros de João Pessoa

Alto do Mateus, Róger, Geisel e Cidade Verde. Sabe o que esses bairros têm em comum, além de serem populosos e tradicionais na capital paraibana? No próximo dia 10 de dezembro, comunidades desses quatro bairros receberão ações da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) para comemorar o Dia do Palhaço.
Conforme Josemberg Pereira, gerente de Circo da Funesc, as ações serão simultâneas a partir das 17h, com quatro diferentes performances. Nas redes sociais da Funesc, ainda de acordo com Josemberg, será realizada uma homenagem ao ator e palhaço Marcos Pinto (falecido em dezembro de 2014).
No bairro do Geisel, a apresentação será na Quadra do Citex, com o trio Edilson Alves (Palhaço Dengoso), Guadalupe Merki (Palhaça Arenga) e Jonathan Silva (Palhaço Pipoca). Já no Róger, performance será realizada ao lado do Presídio Flóscolo da Nóbrega, com o trio Jacson Lima (Palhaço Coceirinha), Irla Medeiros (Palhaça Cacatua) e Rafael Paiva (Palhaço Folikito).
A família Los Iranzi será a atração das comemorações do Dia do Palhaço no bairro de Cidade Verde. ‘De volta ao picadeiro’ vai acontecer na Praça Encanto Verde. E no Alto do Mateus, Kléber Marone (palhaço Espoleta, da companhia Lua Crescente) mostrará ‘O circo do cara de clown’, na Arena Futshow, na Comunidade 5 de junho.
Pedro Santos, presidente da Fundação Espaço Cultural da Paraíba, destacou a importância da programação comemorativa do Dia do Palhaço fora do espaço físico da Funesc, o que evidencia o permanente planejamento do processo de descentralização das atividades. Essa descentralização, ainda conforme ele, reforça o fundamental diálogo com a periferia, aproximando ainda mais a população das ações da Fundação.

Homenagem a Marcos Pinto
Marcos Fábio Costa Pinto, Marcos Pinto ou simplesmente Marquinhos. Nascido em 10 de agosto de 1973, na cidade de Vieirópolis-PB. Diretor de teatro, ator, produtor cultural, dramaturgo, escritor e poeta, ele foi assassinado em dezembro de 2014.
Ficou conhecido pelas inúmeras peças de teatro realizadas em mais de 15 anos de dedicação às artes cênicas. Morou em João Pessoa por pelo menos 20 anos. Em 2003, Marcos Pinto criou o Grupo Experimental Cena Aberta (Geca-João Pessoa).
Dentre inúmeros trabalhos como ator, destacam-se: ‘Tambaba Pra Que Te Quero?’ (1997) Direção: Roberto Cartaxo; ‘O Auto de Deus – Paixão de Cristo’ (1998 / 1999 / 2000 / 2001 e 2002) Direção: Roberto Cartaxo, Everaldo Vasconcelos, Humberto Lopes e Paulo Vieira; ‘Arco-iris, Cidade dos Sonhos’ (2006) Direção: Ismar Pompeu.
Quanto sua atuação como diretor, podemos lembrar: ‘A Saga de Zacarias’ (2007) – Aglaé Fontes; ‘Cordel em Retalhos’ (2007) – Colagem de três textos de Lourdes Ramalho; ‘Nada, Nenhum e Ninguém…’ (2009) / Adaptação Marcos Pinto.
Em 2014, dirigia o espetáculo “A Flor de Suvelão”, o qual era protagonizado por um palhaço e duas palhaças, respectivamente: Palhaço Suvelão (Daniel Nóbrega); Palhaça Kika (Marinalva Rodrigues) e Palhaça Cafuringa (Naylane Cavalcanti).

Atrações:
Kleber Marone/Palhaço Espoleta
Circense, ator, arte-educador, percussionista autodidata, que continua em atividade atuando com sua Cia de Circo e Teatro Lua Crescente, em atividade desde 2005. No ano de 1996 surge seu primeiro palhaço o Bambolino que em seguida foi batizado de Espoleta, personagem que o acompanha até hoje. Irreverente, brincalhão, Espoleta já trabalhou em circos, teatros e festivais regionais e nacionais.

Família Los Iranzi
Fundada em 1997, Los Iranzi é uma família de brincantes, que – através do dom de brincar – mantém viva a arte mambembe. Com raízes firmadas no convívio e em encontros com grandes mestres da cultura universal, Los Iranzi semeiam com seus espetáculos e vivências o seu legado do fazer rir e de perpetuar a cultura dos povos. Os brincantes Virginia Iranzi, Luana Iranzi, Pedro Iranzi, Manuela Iranzi e Júnior Iranzi (que são os palhaços Chumbinho, Mamadeira, Jujuba, Espoleta e Coxinha) mostrarão o espetáculo ‘De volta ao picadeiro’.

Palhaço Coceirinha / Jacson Lima
Na tradição do palhaço de circo criação e aprendizado derivam da experiência direta e coletiva, ou seja, do contato com palhaços profissionais e com o público. Se, por um lado, as ações podem ser organizadas de maneira completamente diferente a cada apresentação, por outro a improvisação é rigorosamente codificada. O palhaço Cocerinha nasceu em 2006, fruto de desejos artísticos com foco no desenvolvimento de novas perspectivas pessoais e sociais.

Palhaça Cacatua / Irla Medeiros
Irla Medeiros é a Palhaça Cacatua e também atua como bailarina, coreógrafa, atriz e arte educadora. Em 2013, paralelamente à sua formação acadêmica em Dança, iniciou estudos teórico práticos na área circense, em acrobacias aéreas e de solo, malabares, pirofagia e palhaçaria. Atualmente, ministra aulas de Técnicas Circenses, Ballet Clássico e Jazz Dance na cidade de João Pessoa, além de participar de espetáculos de Circo, Teatro e Dança, nas funções de atriz, palhaça, acrobata, bailarina e coreógrafa, juntamente com grupos e companhias da capital paraibana. Já participou de eventos nacionais e internacionais e atualmente integra a Cia de Palhaçaria AsPalhafatosas.

Palhaço Folikito / Rafael Paiva
Personagem interpretado pelo ator e comediante Rafael Paiva, um palhaço de picadeiro cheio de habilidades em busca de sorrisos através de suas palhaçadas.

Palhaço Dengoso / Edilson Alves
Ator de teatro, TV e Cinema, além de diretor, especialista em Arte-educação, gestor e produtor cultural, Edilson Alves também é parecerista em projetos e eventos culturais. Ele é o criador do Palhaço Dengoso. Edilson ainda é coordenador do Núcleo de Teatro Universitário, da UFPB, e ministra oficinas de teatro, arte-educação e palhaçaria. Atualmente, é vice-presidente da Associação Folia de Rua. A trajetória de Edilson inclui ainda a fundação dos grupos de teatro Agitada Gang, Trupe de atores e palhaços da Paraíba, Trupe de Humor da Paraíba e Arretado Produções Artísticas.

Palhaça Arenga / Guadalupe Merki
Natural da cidade de Esperanza, Santa Fé, Argentina, Guadalupe merki começou a sua pesquisa em acrobacia aérea em 2009. Já em 2010 mudou-se para o Brasil, onde manteve as atividades em grupos de Piracicaba (SP). Desde 2019, a Palhaça Arenga integra a Cia TrupeÇando – grupo itinerante que pesquisa a arte de rua. Ela é produtora e atua no espetáculo ‘Perfeitamente ImperfeitoS”. Em 2020 e 2021 realizou alguns trabalhos audiovisuais com linguagem circense como “Ernestina e Eu” e “Sou lua. Sou quatro, sou UMA!”.

Palhaço Pipoca / Jonathan Silva
Palhaço desde 2015, Jonathan Silva tem seis anos de experiência na área circense, com habilidades em palhaçaria, malabarismos e equilibrismo do seu Palhaço Pipoca. Ele realiza oficinas e palestras da Trupe Arlequim e faz trabalhos voluntários em hospitais públicos e ONGs.

Serviço
Dia do Palhaço / performances e espetáculos
Local: Geisel (Quadra do Citex, na Rua Natália Luiza dos Santos); Róger (Rua Conceição Cabral, ao lado do Presídio); Cidade Verde (Praça Encanto Verde) e Alto do Mateus (na Arena Futshow, na Rua Francisco José das Neves, por trás da Escola Estadual Henrique Dias na Comunidade 5 de junho).
Data: 10 de dezembro
Hora: 17h

Local: Geisel (Quadra do Citex, Rua Natália Luiza dos Santos); Róger (Rua Conceição Cabral ao lado do Presídio); Mangabeira (Praça Encanto Verde no Cidade Verde) e Alto do Mateus (Rua Francisco José das Neves, na Arena futshow, por trás da Escola Estadual Henrique Dias, na Comunidade 5 de junho).