Em Bayeux, Julian Lemos aplica golpe de capoeira e retira candidatura já lançada; capitão diz que não negocia com a iniquidade

Nada mais emblemático sobre os critérios da política exercidos no estado do que a rasteira dada pelo presidente estadual do PSL, deputado Julian Lemos. Revelando total falta de respeito aos valores da lealdade e da consideração aos compromissos anteriormente firmados, o deputado substituiu a candidatura já lançada do capitão Jaerson Silva pela do capitão Antônio, num rabo de arraia que entra para a história já conturbada de Bayeux.

Capitão diz que tem honra e dignidade para preservar

Seria algo normal e contumaz na política, que ocorre naturalmente nos embates eleitorais, onde se persegue a competitividade, se não fossem os ingredientes da desconsideração, da descortesia, e até da covardia e mesmo da traição pura e simples, que pegaram o jovem capitão de surpresa logo após ter recebido o aval do presidente para tocar a campanha e ver aparecer, inopinadamente um vídeo postado na mídia e redes sociais, onde o deputado aparece, ao lado de outro postulante, anunciando o apoio do partido, quase que, ao mesmo tempo em que havia gravado uma mensagem, enaltecendo a escolha do capitão preterido.

Procedimento que poderia explicar a personalidade arrogante do deputado e que, talvez, tenha propiciado seu rompimento e afastamento do núcleo político e familiar do presidente Jair Bolsonaro, onde provavelmente experimentou esse tipo de golpe de capoeira, e que ele confessa, candidamente, em áudio endereçado a vítima, ser comum ao estilo político que abraçou, mas vigorosamente rechaçado pelo filho de Bolsonaro, o que teria levado o deputado ao desgaste inevitável nas esferas mais elevadas do Planalto Central.

A arapuca montada e disparada pelo deputado e presidente do PSL teve ampla repercussão e apontaria para um estilo politico onde a falta de seriedade e de rigor com os compromissos poderá ser a tônica de uma administração que já nasceria sob o signo da perfídia.

O áudio abaixo confirma a forma desrespeitosa de conduzir a politica posta em prática pela dupla que pretende se apossar da prefeitura de Bayeux, abusando do subterfúgio e da esperteza.

Alianças como essa, que une cavilação e oportunismo, não pode ser recomendada para o eleitor, principalmente para um eleitor já moralmente devastado como é o de Bayeux, alvo e vitima desse tipo de atrocidade moral, exercida por décadas, e que incitou seus homens públicos transformar cueca em cofre.

O capitão Jaerson divulgou nota externando sua perplexidade, estarrecimento e repúdio à essas práticas, onde enfatiza que não negocia sua dignidade, sua honra e seu caráter, rechaçando veementemente qualquer acordo ou mesmo aproximação com quem abusa da iniquidade com tanta desfaçatez.

“Nunca, jamais, em tempo algum, participei desta conversação. Sem entender o que estava acontecendo, visto que não coaduno com situações dessa natureza, recebi ligação via whatsapp do deputado federal Julian, tentando explicar o inexplicável dos fatos promovidos nas sombras das conveniências pessoais. Lamento e repudio tal atitude. Não negocio minha dignidade, honra e caráter”, diz ele na nota que o Jampanews transcreve abaixo.

Confira a carta na íntegra

Meu Povo Querido e Amado de Bayeux….
Meu Respeito, Carinho e Admiração!

Fui surpreendido no último dia 14/09/20, com um vídeo nas redes sociais do Presidente Estadual do PSL, deputado Federal Gulian Lemos, informando aos seus seguidores que o Partido ao qual é Presidente na Paraíba, iria apoiar a candidatura à Prefeito desta terras dos manguezais, de outro candidato; sem ao menos informar-me os motivos desta brusca mudança.

Nunca, jamais, em tempo algum, participei desta conversação. Sem entender o que estava acontecendo, visto que não coaduno com situações dessa natureza, recebí ligação via whatsapp do Deputado Federal Julian, tentando explicar o inexplicável dos fatos promovidos nas sombras das conveniências pessoais. Lamento e repudio tal atitude, pois, mais uma vez este povo querido, amado, que merece respeito, carinho e admiração, está ficando novamente em segundo plano. Bons entendedores, entenderão: Não negocio minha dignidade, honra e caráter; não negocio a esperança, o sonho e o destino deste povo.

Secretarias Municipais fazem parte de uma Administração Pública onde o povo deve ser o beneficiado; pois é pelo povo e para o povo que devemos sempre pensar. A Administração Pública deve ser gerenciada com Probidade.
Devemos tirar de cena a velha política .

Bayeux precisa de transformação que faça história.

A este povo castigado ao longo do tempo pelas velhas práticas, e como filho natural de Bayeux, afirmo que estarei acompanhando o CAPITÃO SENA a condição de candidato a Prefeito do Município de Bayeux e eu na condição de VICE-PREFEITO, na chapa do Partido PATRIOTAS.

Bayeux tem jeito sim!

Respeitosamente,

Jaerson Silva