Digitais dos chefões da quadrilha girassol estão impressas em outros poderes; falência múltipla dos órgãos atingiu as instituições no Estado

O odor de carniça, que exala do cadáver político do PSB, não deixa de incomodar as narinas da sociedade, cada vez mais estarrecida com as atrocidades cometidas pela quadrilha do ex-governador Ricardo Coutinho, considerando-se os indícios de cumplicidade que as investigações vão revelando a cada fase da Operação Calvário, comprovando que o estado foi completamente contaminado e pouca coisa teria escapado dessa influência maligna.

A Lei a serviço do crime revela a Calvário

Fatos passados, isolados, mas dentro do contexto que as investigações arrolaram, surgem com a nitidez do contraste usado na medicina para delimitar áreas atingidas por determinada doença, respaldando as suspeitas levantadas pelo MP de que, as instituições paraibanas estavam e estão submetidas aos grilhões da maquina de corrupção, instalada e acionada pelos tentáculos da organização criminosa.

Sentenças estapafúrdias, que se assemelham a que foi deferida pelo ministro Napoleão Maia, enfeitam os arquivos da Justiça paraibana, aguardando que tribunais mais isentos e imparciais pronunciem a sentença final.

Por debaixo delas, a cumplicidade com o crime organizado

Conchavos, os mais descarados, que provocaram gritos de desespero e indignação pela cumplicidade acintosa com os criminosos, emolduram esse período triste da vida paraibana reportando-se aos tempos em que a Máfia reinava senhora absoluta dos destinos de regiões italianas como a Sicília.

As investigações já apontaram essa realidade promíscua, que forjou sentenças e decidiu processos, contrariando a lógica jurídica ferindo e afrontando o pudor da Justiça.

O Poder dos dois contaminou os demais poderes

Para esses vendilhões, a espada cega já estaria sendo desembainhada e a qualquer momento poderão ser atingidos pelo golpe fulminante do cutelo.

São relações espúrias, onde os dedos marginais dos chefões da Máfia paraibana deixaram suas digitais asquerosas, sem qualquer receio de identificação, numa exibição de confiança na impunidade que só a cumplicidade com certos homens de toga, pode inspirar.

Ainda há muita sombra para ser desvendada pelas investigações

Pelo contraste policial, injetado no organismo das instituições paraibanas, pouca coisa restará de saudável e as próximas horas ou os próximos dias deverão expor toda extensão dessa contaminação virulenta que vem devastando a política no estado.

O Jampanws está colhendo relatos apavorantes onde ficam expostos todos os caminhos tortuosos que essa gang trilhou e demarcou para tomar de assalto o poder.

São ramificações e atalhos que adentram ao Ministério Público, aos corredores e gabinetes do Tribunal de Justiça e da Assembleia Legislativa como também aos recintos luxuosos dos Palácios.

Aguardem