Dia D para afastar assombrações politicas e repudiar o trambique e a esbórnia

Fim de papo. Hoje será o dia que a cidade de João Pessoa, do alto dos seus mais de 400 anos, dará uma resposta a cavilação e a demagogia.

Depois de 45 dias de exibição do mais deplorável e afrontoso método de atropelamento aos mais comezinhos princípios de respeito à consciência do eleitor, acrescido das atrocidades morais e éticas, onde o estelionato foi a arma de convencimento para a escolha de prefeito, o eleitor terá a oportunidade de repelir esses propósitos.

João Pessoa não é uma cidade qualquer: é a terceira mais antigas do país, por onde vultos da história que edificaram essa nação imprimiram seus passos e derramaram seu sangue.

O cidadão de hoje vai ás urnas com a responsabilidade de não errar para não entregar, por quatro anos, esse patrimônio histórico nas mãos de vagabundos.

Henrique Dias

Não será uma escolha trivial, onde os postulantes ao cargo se ombreiem em caráter, onde princípios e valores éticos se equiparem muito pelo contrário será uma decisão de preservação da dignidade, onde o erro poderá precipitar a vetusta Filipéia de Nossa Senhora das Nevas nas trevas da delinquência pura e simples e cedê-la a um bando de aventureiros determinados ao assalto e ao ao embuste.

As pesquisas apontam um favoritismo confortável do candidato que pode retomar as rédeas da cidade e reiniciar um trabalho que já o credenciou pelos resultados comprovados de eficiência e que pode evoluir significativamente haja vista as parcerias em andamento e os projetos para conduzir a cidade de quatrocentos anos para um futuro que faça justiça a sua grandeza histórica e as suas tradições culturais.

André Vidal de Negreiros

João Pessoa tem uma história de rejeição aos embustes e aos engodos, demonstrada na sua trajetória de rebeldia aos invasores, de antipatia espontânea aos aventureiros, que nunca encontraram guarida em seus muros seculares; e não será neste domingo que negará esse patrimônio de conjunção com a dignidade que distinguiu seus heróis e os levaram acreditar na decência ate a morte.

Que cada um vá para as urnas neste domingo (29) segurando nas mãos de Henrique Dias, de Felipe Camarão, de Peregrino de Carvalho e André Vidal de Negreiros para que não afrontem a História nem errem o voto.