Curso da Marcenaria Escola da Prefeitura é oportunidade de profissionalização para o mercad

O curso de Marcenaria Básica, da Marcenaria Escola da Prefeitura de João Pessoa, abre diversas oportunidades no mercado de trabalho para homens e mulheres, alcançando o objetivo de promover o fortalecimento da inclusão social, despertar competências e habilidades dos participantes. A atual formação, iniciada no mês de junho, já resultou na criação de várias peças de madeira como caixas, aparadores e peças de decoração.

“Buscamos a qualificação de pessoas com objetivo de abrir oportunidade de inserção no mercado de trabalho, seja em atividades empreendedoras, uma renda extra ou hobby”, afirmou Dorgival Vilar, secretário de Desenvolvimento Social de João Pessoa (Sedes).

Administrado pela Sedes, por meio da Diretoria de Economia Solidária e Segurança Alimentar e Nutricional – DESSAN, a Marcenaria Escola atualmente ministra curso com duração de quatro meses, focado na utilização de madeiras usadas na fabricação de paletes. As aulas são gratuitas e acontecem três vezes por semana, nos turnos da manhã e à tarde.

O curso é dividido em quatro módulos. No primeiro, parte do módulo é teórico no qual são abordadas noções básicas de marcenaria no uso de materiais sustentáveis como paletes, detalhes sobre como fazer um plano de corte, projetos, equipamentos e itens de segurança no trabalho.

Na parte prática, nos dois módulos iniciais foram feitas produções individuais, sendo que no primeiro todos os alunos construíram o mesmo objeto – uma caixa de 20 x15 centímetros. A caixa pode ser usada para armazenar objetos pequenos como bijuterias, chás, óculos ou itens eletrônicos como carregador de celular, fones, etc.

O segundo objeto foi de criação livre. Orientados pelo professor, os alunos se inspiraram e aprenderam a desenvolver peças utilitárias como mesa, fruteira, aparador e mesinha de canto.

No terceiro módulo a atividade será em grupo. Os alunos irão produzir sofás, poltronas e mesa de centro, preservando as características estruturais do palete. No quarto módulo, no qual os alunos estarão mais familiarizados com o manuseio da madeira e equipamentos, será feita uma nova atividade livre e individual. “O objetivo é explorar as diversas possibilidades dos paletes e a criatividade dos alunos”, afirmou o professor André Fleig.

“Ficamos gratos com os resultados obtidos no desenvolvimento de cursos como este e com as diversas possibilidades de mudanças de vida e empregabilidade que pode trazer para os participantes”, disse Regina Bonfá, chefe de Divisão de Economia Solidária da Secretaria de Desenvolvimento Social de João Pessoa (Sedes).

Capacitação – A assistente social Lucicleide Cândido traz o gosto pela marcenaria no sangue. Seu avô era marceneiro profissional e seu pai seguiu o ofício como hobby. Ela já se aventurou no mundo das madeiras fabricando peças pequenas como suporte para jarros, deckes e bancadas. Agora o curso de marcenaria vem abrindo seus horizontes e ela já sonha com a criação de novos projetos.

“Fiquei sabendo do curso pelo noticiário na TV e logo me interessei. Já tinha usado alguns maquinários como furadeira e serra, mas aqui o aprendizado vai mais além. A gente aprende muita coisa na teoria e na prática como usar as ferramentas, tipos de madeiras, além de aprender a elaborar projetos e desenvolver a criatividade”, disse Lucicleide.

Jociane Domingos é mãe de seis filhos, cuida da mãe doente e ainda arranjou tempo para se dedicar a marcenaria. “Eu sempre fui louca para fazer esse curso e quando vi na TV corri para fazer a matrícula. Não tinha experiência, no máximo buscava reaproveitar os móveis fazendo nichos, agora registro minha evolução no Tictoc”. O curso vem motivando Jociane a aproveitar a garagem de casa para montar uma marcenaria.

Rosana Silva, professora, se matriculou no curso buscando um prazer particular. “Meus filhos estão criados e eu queria fazer algo por mim. Fiquei deslumbrada com o processo de fabricação da caixa de madeira, que ficou linda no final”, contou. Rosana também ficou surpresa com a reação da família quando postou suas fotos trabalhando na marcenaria. “Todos expressaram surpresa e preocupação, achando que tudo era muito perigoso, porque marcenaria é vista como uma profissão para os homens, mas desde pequena fui acostumada a fazer em casa atividades ditas de homens e acredito que as mulheres podem se dar bem também na marcenaria. Tudo tranquilo”.