Coronel adverte: grupo da Bengala congestiona a PM, atrapalha as promoções e pode levar João cometer improbidade se não mandar para casa a turma do pijama

Tem sido grande a repercussão em relação as promoções que acontecerão na Polícia Militar neste mês de abril previstas para a próxima quarta-feira (21), dia que se comemora o Patrono da instituição, Tiradentes.

O barulho é ensurdecedor nos corredores principalmente entre as patentes de tenente e capitão as mais prejudicadas com a politica de agregação sem critérios. Existiriam capitãs com mais de 10 anos na fila de espera pela promoção tanto no Bombeiros como na PM.

Coronel avisa que promoções sem mandar gente para casa deve complicar João

Mas, mesmo com tantos ruídos e ranger de dentes, uma convicção firma-se na corporação: é preciso mandar para casa a turma da bengala para que a instituição seja arejada por um bafo de vitalidade.

Dezoito coronéis e um número enorme de tenentes-coronéis entopem o gargalo da corporação pelo fato de não terem ido em tempo hábil e legal para a reserva.

Esse congestionamento no topo da PM já foi alertado pelo TCE e caso continue a farra de coronéis, o governador João Azevedo pode responder por improbidade administrativa.

Farra

Tem uma corrente na PM defendendo a promoção de mais coronéis, o que pode elevar de 26 para 29 o número de oficiais nesta patente ultrapassando praticamente ao dobro o número legal que seria de 15.

No informativo do Clube, Coronel Francisco faz críticas aos coronéis da bengala.

Essa situação escandalosa – que não existe em nenhuma outra instituição policial militar no país – já despertou reações e o Clube dos Oficiai, através de seu presidente, coronel Francisco de Assis, já manifestou sua preocupação e, acima de tudo sua indignação com o que ele chama de farra dos coronéis.

Para o coronel Francisco essa farra não pode continuar sob pena de estagnar a corporação e de empurrar o governador para cometer crime de improbidade.

Algo semelhante a MP da Bengala que fez o governador retroceder diante da gravidade do erro cometido por indução de auxiliares cavilosos, que não demonstram respeito pela autoridade do Chefe supremo da instituição.

O presidente do Clube dos Oficiais já externou sua opinião em artigo no semanário da entidade onde diz que a corporação assiste com indignação essa farra acintosa de coronéis, que resistem a todo custo irem para a reserva e encontrariam guarida no comando geral.

Coronel Francisco adverte que já há parecer do TCE alertando para essa anomalia na estrutura da corporação, e caso insistam em promover coronéis sem mandar os que atingiram a idade limite para casa vai se manifestar judicialmente.

Ele acrescenta que o governador pode atender as demandas de promoção sem problemas, desde que mande para casa os oficiais que atingiram os 30 anos, mas permanecem ocupando cargos na corporação sem o devido respaldo legal.

O presidente do Clube dos Oficiais, inclusive, cogita emitir nota advertindo o governador da possibilidade de cometer crime de improbidade se promover sem mandar para casa o Grupo da Bengala.

Segundo informação de tenentes e capitãs inconformados, prejudicados com essa politica de agregação escandalosa que vem sendo implantada ao longo de anos, e que elevou para 26 o número de coronéis do quadro de combatentes na PM – quando o legal e permitido são 15 -, essa prática se constituiria um absurdo e um atentado às pretensões de jovens oficias ascenderem na corporação pelo estrangulamento no topo das promoções.

Bombeiros

No Corpo de Bombeiros a farra seria maior ainda com promoções, as mais afrontosas, feitas a base do arrumado e do privilégio, comprovando que fizeram escola nessa modalidade de entupir instituições de caráter militar na Paraíba.

Uma vaga de coronel agregado estaria incorporando seis tenentes-coronéis, um verdadeiro escárnio aos demais integrantes  e que já provocou reações as mais indignadas, sinalizando para ações na Justiça.

Enfim, por conta das agregações escandalosas, os Bombeiros estariam pegando fogo.

Atualizado às 10h e 14