Confira erros e fake news dos candidatos no debate da Band

A Agência Lupa, de checagem de notícias, levantou os principais erros de informação e/ou fake news dos candidatos a presidente da República que participaram, ontem, do primeiro debate em TV aberta.

JAIR BOLSONARO (PL)

Foi o meu governo, contra o voto do PT na Câmara [que aprovou Auxílio Brasil de R$ 400]

Jair Bolsonaro (PL)

presidente e candidato à reeleição, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

FALSO

Os deputados do PT votaram favoravelmente à Medida Provisória nº 1.076/2021, que instituiu o valor mínimo de R$ 400 para o Auxílio Brasil — substituto do Bolsa Família. De acordo com o site da Câmara dos Deputados, o partido recomendou a aprovação da proposta e todos os parlamentares votaram a favor da medida.

Ao todo, 426 parlamentares participaram desta votação. Na sessão realizada em 27 de abril, apenas os deputados federais do Novo votaram contra. Ao todo, a proposta teve 418 votos a favor da MP e 7 contra.

A inflação do Brasil [em 2022] é uma das menores do mundo

Jair Bolsonaro (PL)

presidente e candidato à reeleição, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

FALSO

Segundo relatório da Organização para Cooperação de Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil tinha a 4ª maior inflação entre os países do G20 em maio de 2022, atrás apenas da Turquia, Argentina e Rússia.

O levantamento analisou a inflação acumulada nos últimos 12 meses até maio de 2022, nas 20 maiores economias do mundo. No período, a inflação brasileira foi de 11,7%, superior à média dos países da OCDE (9,6%), do G20 (8,8%) e do G7 (7,5%).

[A inflação no Brasil é] Menor até que a dos EUA

Jair Bolsonaro (PL)

presidente e candidato à reeleição, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

FALSO

Em julho de 2022, o IPCA acumulado em 12 meses estava em 10,07%, mesmo com a deflação de 0,68% registrada no mês. Nos Estados Unidos, a inflação estava em 8,5%.

Delatores devolveram R$ 6 bilhões [da Petrobras]

Jair Bolsonaro (PL)

presidente e candidato à reeleição, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

Até 2021, a Petrobras havia recuperado R$ 6 bilhões em acordos e delações. Os recursos foram devolvidos à empresa, que é considerada vítima nos crimes investigados pela Operação Lava Jato.

Nunca tivemos tanto dinheiro de fora do Brasil investido aqui

Jair Bolsonaro (PL)

presidente e candidato à reeleição, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

FALSO

No último levantamento da United Nations Conference on Trade and Development, o Brasil atraiu US$ 50,3 bilhões em investimentos internacionais em 2021. O ano com maior investimento na série histórica disponível foi 2011, quando o Brasil recebeu US$ 97,4 bilhões.

A Petrobras, ao longo de 14 anos do PT, se endividou em aproximadamente R$ 900 bilhões

Jair Bolsonaro (PL)

presidente e candidato à reeleição, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

FALSO

De acordo com o Resultado Consolidado do 2º trimestre de 2016 da Petrobras (último período que Dilma esteve na presidência), o endividamento bruto da empresa era de R$ 397,8 bilhões (página 1). Esse valor hoje, corrigido pelo IPCA, ficaria em R$ 544,4 bilhões.

Sancionei mais de 60 leis em defesa das mulheres

Jair Bolsonaro (PL)

presidente e candidato à reeleição, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

EXAGERADO

Durante o governo de Jair Bolsonaro (PL) foram sancionadas 40 leis voltadas especificamente para as mulheres. Embora a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados tenha divulgado, em julho, uma lista com 72 leis de proteção da mulher criadas na atual gestão, 26 não têm relação direta com a “proteção” de mulheres.

Outras seis que foram listadas foram vetadas parcialmente ou totalmente pelo presidente. É o caso do PL sobre a distribuição de absorventes a estudantes e pessoas de baixa renda —veto que foi derrubado pelo Congresso.

Vale pontuar que nenhum dos PLs sancionados eram de autoria do atual governo.

O presidente [Alberto Fernández, da Argentina] visitou Lula na cadeia em Curitiba

Jair Bolsonaro (PL)

presidente e candidato à reeleição, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

O atual presidente argentino, Alberto Fernandez, visitou o ex-presidente Lula no período em que ele esteve preso na sede da Polícia Federal em Curitiba. Na época, ele era candidato à presidência da Argentina. A visita aconteceu no dia 4 de julho de 2019. O argentino estava acompanhado do ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA (PT)

[Nós fizemos] A lei contra a lavagem de dinheiro

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

FALSO

Lei nº 9.613, que criou a figura jurídica da lavagem de dinheiro, foi sancionada em março de 1998, durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Ou seja, quatro anos antes de Lula assumir a presidência em 2002. Em 2012, depois de Lula deixar o Planalto, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) sancionou uma revisão dessa legislação com a Lei nº 12.683 de 2012.

Quando cheguei na presidência, tinham 3,5 milhões de estudantes nas universidades

Luiz Inácio Lula da Silva

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

Em 2002, um ano antes de Lula assumir a presidência pela primeira vez, 3,4 milhões de pessoas estavam matriculadas em universidades no Brasil (aba 1). Os dados são do Censo da Educação Superior, realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Quando eu saí da presidência, tinham 8,5 milhões de pessoas na universidade

Luiz Inácio Lula da Silva

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

EXAGERADO

Entre 2003 e 2010, período em que Lula foi presidente, o número de estudantes universitários quase dobrou, mas não chegou a 8,5 milhões. Em 2010, último ano da gestão do petista, havia 6,3 milhões de estudantes matriculados (página 41). O número de universitários chegou a 8 milhões em 2015, último ano completo de Dilma Rousseff (PT) na presidência, e chegou próximo dos 8,5 milhões em 2018, já no último ano do mandato de Michel Temer (MDB). Naquele ano foram 8,45 milhões de matrículas.

(…) quintupliquei o orçamento da educação

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

EXAGERADO

De acordo com o Ministério da Educação, o gasto total em educação triplicou, e não quintuplicou, entre 2003 e 2010. No ano de 2003, foi de R$ 17,4 bilhões e de R$ 51 bilhões em 2010. Se incluídos nesta conta os recursos da transferência do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), do salário educação e da quarta parte do repasse estadual, o valor passa de R$ 19,1 bilhões em 2003 para R$ 59,1 bilhões em 2010.

É importante lembrar que os R$ 600 [do Auxílio Brasil] não está na LDO mandada para o Congresso [para 2023]

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2023 foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e publicada no DOU (Diário Oficial da União) no dia 9 de agosto deste ano. O texto, que descreve gastos obrigatórios do governo para o ano seguinte, não prevê o pagamento dos benefícios do Programa Auxílio Brasil, que hoje é de R$ 600.

É importante deixar claro que nós fizemos o Portal da Transparência (…)

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

Portal da Transparência foi criado pela CGU (Controladoria-Geral da União) em 2004, no primeiro mandato de Lula. O portal permite que qualquer cidadão consulte informações sobre gastos públicos do governo federal.

O menor desmatamento da Amazônia foi feito no meu governo

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

FALSO

A menor taxa de desmatamento da Amazônia Legal foi registrada durante o governo Dilma Rousseff (PT). Em 2012, no primeiro mandato da petista, 4,6 km² foram desmatados no bioma. Esse é o menor dado da série histórica, iniciada em 1989. Os dados são do sistema Prodes, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Esse que vos fala gerou 22 milhões de empregos no país

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

EXAGERADO

Entre 2003 e 2010, período em que Lula governou o Brasil, foram criados 15,3 milhões de empregos formais no país, de acordo com dados da Rais (Relação Anual de Informações Sociais), do Ministério da Economia.

Tenho orgulho de ter indicado o primeiro negro para a Suprema Corte

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

FALSO

Antes de Joaquim Barbosa, ministro indicado pelo presidente Lula em 2003 e que ficou no cargo até 2014, outros dois ministros negros fizeram parte do Supremo Tribunal Federal. Pedro Lessa foi o primeiro, com permanência no cargo entre 1907 e 1921. O segundo foi Hermenegildo Rodrigues de Barros em 1919, ficando no cargo até 1937.

“Tive o prazer de indicar a primeira mulher candidata à presidência da República”

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

FALSO

Apesar de ter sido a primeira presidente mulher eleita e reeleita no país, Dilma Rousseff (PT) não foi a primeira candidata ao cargo. A pioneira foi Lívia Maria Pio, em 1989, pelo extinto Partido Nacionalista. Na ocasião, ela recebeu 179 mil votos e terminou na 16ª posição.

Posteriormente também foram candidatas Thereza Ruiz (1998), Ana Maria Rangel (2006), Heloísa Helena (2006), Marina Silva (2010, 2014 e 2018) e Luciana Genro (2014). Vera Lúcia, que foi candidata em 2018, também disputa o Palácio do Planalto nas eleições deste ano, junto com Simone Tebet (MDB), Sofia Manzano (PCB) e Soraya Thronicke (União Brasil).

Eu tirei ministro porque (…) comeu uma tapioca e não conseguiu provar

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

FALSO

Em 2008, o então ministro do Esporte do governo Lula, Orlando Silva (PCdoB), envolveu-se em um escândalo durante a CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) que investigou o uso de cartões corporativos nos ministérios.

Entre as irregularidades encontradas, cuja soma ultrapassava R$ 30 mil, estava a compra de uma tapioca por R$ 8,30. O caso ganhou amplo destaque na mídia. Em sessão da CPMI, o então ministro afirmou que a despesa foi ressarcida antes mesmo da denúncia e ocorreu por engano.

Na época, ele não foi demitido, como afirmou Lula. Silva continuou no comando do Ministério do Esporte até o governo Dilma. Ele deixou o cargo como ministro do Esporte em outubro de 2011, após denúncias de desvio de verba na pasta. O ex-ministro foi acusado de receber dinheiro vivo na garagem do ministério que seria destinado a ONGs de incentivo à prática de esporte por jovens. Ele nega as acusações. Desde 2015, Silva é deputado federal.

A CPMI dos Cartões Corporativos foi motivo do pedido de demissão da ministra Matilde Ribeiro (PT), que estava à frente do Ministério da Igualdade Racial. Ela gastou R$ 171,5 mil em viagens enquanto era ministra, incluindo R$ 110 mil em aluguéis de carros e R$ 461,16 em um free shop.

 

CIRO GOMES (PDT)

O Ceará tem hoje a melhor educação pública do Brasil

Ciro Gomes (PDT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

EXAGERADO

A educação pública — federal, estadual e municipal — do Ceará só apareceu em primeiro lugar na última edição (2019) do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) nos anos finais do ensino fundamental (9º ano), empatada com São Paulo.

Nos outros dois ciclos, o estado foi superado por outras unidades da Federação. No primeiro ciclo do ensino fundamental, o estado está em terceiro lugar, e no ensino médio, em sexto.

Quando considerada apenas a rede estadual, o Ceará não ficou em primeiro lugar em nenhuma das séries analisadas.

33,1 milhões de brasileiros estão passando fome

Ciro Gomes (PDT)

VERDADEIRO

Em junho, a pesquisa Inquérito Nacional Sobre Segurança Alimentar no Contexto da Pandemia Covid-19 no Brasil mostrou que, atualmente, 33,1 milhões de brasileiros estão em situação de insegurança alimentar grave.

Hoje, o Brasil tem 66,6 milhões (…) pessoas (…) no SPC

Ciro Gomes (PDT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

De acordo com o Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas no Brasil, de junho de 2022, 66,82 milhões de brasileiros estão inadimplentes. Os dados são da Serasa e mostram uma alta de 0,36% em relação ao mês de maio, que teve 66,58 milhões de pessoas inadimplentes no país. Os dados de junho mostram que 41,36% dos brasileiros adultos estão com o nome sujo.

60 de cada 100 alunos do ensino médio do Ceará já estão em tempo integral

Ciro Gomes (PDT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

EXAGERADO

Os dados do Censo Escolar 2021 mostram que 33,2% dos alunos de ensino médio do Ceará matriculados na rede pública estudavam em tempo integral. Com isso, o estado teve a terceira maior proporção de alunos do ensino médio em tempo integral. Analisando o ensino fundamental, o Ceará aparece em primeiro lugar.

Nos últimos 12 meses o Brasil pagou R$ 500 bilhões de juros

Ciro Gomes (PDT)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

Em agosto, o Banco Central anunciou que as despesas do governo com juros da dívida pública atingiram R$ 500 bilhões (5,51% do PIB) nos últimos 12 meses no ciclo encerrado em maio deste ano. É a primeira vez que os juros chegam a esse patamar desde fevereiro de 2016. Naquele ano, as despesas com juros da dívida chegaram a R$ 540 bilhões.

SIMONE TEBET (MDB)

Uma em cada 3 mulheres no Brasil sofre algum tipo de violência dentro ou fora de casa

Simone Tebet (MDB)

candidata à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

EXAGERADO

Segundo a 9ª edição da pesquisa “Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher”, publicação do DataSenado em parceria com o OMV (Observatório da Mulher contra a Violência), 27% das brasileiras já passaram por alguma situação de violência doméstica ou familiar provocada por um homem.

O levantamento, publicado em 2021, entrevistou 3 mil brasileiras. Proporcionalmente, significa dizer que uma em cada quatro mulheres no Brasil já foi vítima de violência doméstica ou familiar —e não uma em cada três.

O dado citado pela senadora é próximo do que diz um estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) feito com base em dados coletados ao redor do mundo de 2000 a 2018. A pesquisa revelou que, em todo o mundo, uma em cada três mulheres no mundo já foi submetida a situações de violência física ou sexual.

[Bolsonaro] Votou contra direito de empregadas domésticas

Simone Tebet (MDB)

candidata à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

Então deputado pelo PP, Bolsonaro votou contra a PEC das Domésticas (PEC 478/2010) no no segundo turno da votação. A proposta foi aprovada por 347 a dois na ocasião. No primeiro turno, ele não estava presente.

SORAYA THRONICKE (UNIÃO BRASIL)

Fui eleita em 2018 sem nenhum centavo de recurso público. Minha campanha para Senado custou R$ 80 mil

Soraya Thronicke (União Brasil)

candidata à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

VERDADEIRO

Candidada a senadora pelo PSL em 2018, Soraya Thronicke não recebeu nenhum recurso do fundo eleitoral. De acordo com o portal de Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais, a campanha arrecadou R$ 76.001 por meio de doações de pessoas, além de financiamento coletivo. O gasto total da campanha ficou em R$ 74.879,38.

LUIZ FELIPE D’AVILA (NOVO)

Estamos entre os 15 países que mais cobram imposto

Luiz Felipe D’Avila (Novo)

candidato à Presidência da República, no debate realizado por Band, Folha de S.Paulo, TV Cultura e UOL no dia 28 de agosto de 2022

EXAGERADO

Um levantamento da Organização para Cooperação de Desenvolvimento Econômico (OCDE) mostra que, em 2020 (dado mais recente disponível), o Brasil tinha uma carga tributária de 31,2% sobre o Produto Interno Bruto (PIB).

Pelo menos outros 28 países aparecem à frente na base de estatísticas sobre o mesmo ano: Nauru, Dinamarca, França, Bélgica, Itália, Suécia, Áustria, Finlândia, Holanda, Grécia, Noruega, Alemanha, Luxemburgo, Cuba, Eslovênia, Espanha, Islândia, Polônia, Hungria, Barbados, Eslováquia, Portugal, Estônia, Canadá, República Checa, Reino Unido, Nova Zelândia e Letônia.

FONTE: AGÊNCIA LUPA

Foto de Joshua Miranda/Pexels