Centro de Ciências Agrárias da UFPB divulga nota sobre denúncia de estupro

8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1

O Centro de Ciências Agrárias da UFPB, em Areia, divulgou nota esclarecendo que a denúncia contra o professor Geovane Vitor Vasconcelos, suspeito de assédio sexual contra alunas, preso ontem (10), refere-se a um processo ocorrido há quatro anos, em João Pessoa, fora daquele Centro. O CCA aproveitou para manifestar repúdio “a quaisquer tipos de violações contra as mulheres e seus direitos”.

Confira a nota, na íntegra:

“Considerando os fatos amplamente divulgados pela imprensa local, viemos a público trazer esclarecimentos a respeito do ocorrido com o professor Geovane Vitor Vasconcelos. Numa operação conjunta realizada entre a Polícia Militar do Estado da Paraíba (PMPB) e o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba  (GAECO/MPPB), o mesmo fora encarcerado nesta quarta-feira (10), mediante Mandado de Prisão Preventiva expedido pela 7ª Vara Criminal de João Pessoa, Paraíba. 

O referido mandado refere-se a um processo ocorrido há aproximadamente 4 anos, em João Pessoa, tipificado como artigo 2013, da lei 2848 (Estupro), não tendo relação com ocorrência dentro do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba. 

Manifestamos veemente nosso repúdio a quaisquer tipos de violações contra as mulheres e seus direitos, e estamos abertos a todo o tipo de denúncia. Além disso, informamos que esta Direção não se furta ou se omite frente as denúncias que nos chegam de forma institucional. 

Esclarecemos, ainda, que há hoje em andamento no CCA processos de sindicância com tipificação parecida, entretanto não tão grave quando a supramencionada, os quais correm de forma sigilosas quando aos conteúdos e réus. 

Que os fatos sejam apurados e que a justiça seja feita após o direito da ampla defesa constitucional.”