Cenário de descaso e improbidade leva pré-candidato do PSL, capitão Jaerson, conclamar a população de Bayeux promover mudanças na política

Como já se frisou aqui neste diminuto espaço a renúncia do prefeito Berg Lima provocaria um verdadeiro maremoto de onde surgiriam dejetos políticos na cidade de Bayeux.

Não deu outra coisa. Afastado do cargo por decisão da Justiça, Berg enfrentou dificuldades para entregar sua carta renúncia e essa peregrinação pelos gabinetes da Câmara revelaria o grau de dissolução que o município atingiu no aspecto político, onde as escaramuças se multiplicam num ritmo alucinado emporcalhando ainda mais o já putrefato ambiente.

Os desdobramentos dessa decisão pessoal de Berg dão início a outro festival de velhacarias, onde a Justiça estaria sendo acionada para preservar direitos que protegem figuras tão comprometidas com os desmandos que destacaram Bayeux no cenário da corrupção quanto o prefeito afastado e quase impedido de renunciar.

Não faltou assessoramento ao pré-candidato do PSL

Para agravar a situação já de calamidade moral e confundir ainda mais o cenário, o juiz eleitoral da Comarca de Bayeux, Euler Jansen, entrou num processo de vai-e-vem que atordoou ainda mais a já confusa atmosfera política quando em um momento disse que não haveria necessidade de eleição indireta para em seguida recuar e reconhecer que pode ser realizada a eleição.

Jaerson compareceu a entrevista acompanhado de assessores do PSL

Enquanto isso, o pré-candidato a prefeito da cidade de Bayeux, capitão Jaerson Alves (PSL), conclamou a população participar ativamente e ocupar lugar de protagonista nas eleições para mudar os rumos da gestão do município.

As declarações foram dadas em entrevista à rádio Sanhauá nesta terça-feira, dia 14.

O capitão Jaerson Alves lembrou que os fatos tristes que envolvem políticos e gestores, em Bayeux, têm afastado os eleitores e cidadãos da vida política do município, mas alertou que isso não pode acontecer porque os espaços da política e da gestão pública precisam ser ocupados por quem tem patrimônio moral ilibado.

“Precisamos que a população esteja atenta e participe, pois quando os bons se afastam os maus ocupam aquele espaço. É importante e eu faço esse apelo para que cada cidadão ocupe o seu espaço para lutarmos juntos por nossa cidade”, destacou.

O pré-candidato a prefeito de Bayeux esteve na rádio Sanhauá acompanhado de membros da executiva do partido, e pré-candidatos a vereador em Bayeux.

O jovem capitão surge nesse cenário de degradação moral como uma proposta de renovação da atividade política e da urgente necessidade do eleitor e cidadão do município se engajarem para promover essas mudanças através do voto.

Para o pré-candidato a prefeito pelo PSL, Jaerson Alves, sem esse engajamento da cidadania, não há como recolocar Bayeux nos trilhos da moralidade pública e do desenvolvimento econômico e social.