Catita revela que as ratazanas que comandam “as forças policiais” sofrem pesadelos com uma provável delação de Coriolano

A solicitação para entrada do STJ nas investigações da Operação Calvário começa surtir efeitos. O mundo sombrio por onde trafegavam certas criaturas, encarregadas de espalhar o medo e o terror, a intimidação e o pavor, começa se agitar em polvorosa, antecipando os resultados de uma provável delação premiada de Coriolano Coutinho, o homem que acionava as “forças policiais”, aquelas que trabalhavam para suprir de poder o Poderoso Chefão da Máfia paraibana, vasculhando a intimidade alheia notadamente a das autoridades constituídas como supõem os investigadores.

Delação de Coriolano apavora ratazanas e catitas

As catitas desse esquema criminoso começam correr atordoadas em várias direções, procurando fugir dos destroços, que arrastaram o irmão do governador para os recintos fechados das celas de presídios e que estariam decretando o fim de um reinado de sombras, que perdurou por quase nove anos.

Coriolano pode dizer quem compunha as forças policiais que acionava

Distribuídas a roldo para emprestar segurança aos figurões do esquema criminoso como o braço direito de Ricardo, Coriolano, responsável pelo controle e acionamento das forças policiais a serviço da quadrilha; as catitas, como todas as catitas, pressentiram o medo que transpirou das ratazanas e agora correm delas como o diabo corre da cruz tentando escapar da hecatombe que atingiu os mandarins, nessa sétima fase da Operação Calvário.

Dos esgotos, elas observam o Dia do Juízo se aproximando inexorável

Pelas ruas, esquinas, becos e vielas, elas choramingam seu pavor antecipando a catástrofe que deve vir a ser uma provável delação de Coriolano Coutinho, o homem que dispunha das forças policiais, e que manipulava órgãos como a Loteria Estadual foco de tenebrosas transações.

Esse mundo sombrio das escutas e da espionagem clandestinas e das escoltas de propinas pode ser revelado pela delação premiada de um dos gangsteres mais importante da ORCRIM socialista bem mais devastadora que todas as demais firmadas até agora com a Justiça.

Juntos, com as forças policiais, eles montaram o mais azeitado esquema de ameça e chantagem na história do Estado

Os personagens desse mundo até agora intocado e ameaçador para as mais importantes autoridades do estado, incluídas governador, desembargadores, promotores e políticos de todos os naipes, dão mostras de intranquilidade e nervosismo, que podem ser medidos pelos ataques, repelidos pelas plataformas de blogs e portais, que se atrevem denunciar suas ações nefastas.

Pelo que já deixou transparecer raquítica catita designada para dar segurança a um desses personagens sombrios, o medo instalou-se nesses homens de pouca fé e muita arrogância e o sono já não mais os visitam nas noites de suores frios e tremores, apavorados com as sirenes das operações que ainda estão por acontecer, mas que já soam aos seus ouvidos com estridência.