Cantora suíço-brasileira Maíra lança primeiro EP em português nesta sexta-feira

Depois de uma temporada de cinco meses em São Paulo, a cantora suíço-brasileira Maíra lança nesta semana seu primeiro EP todo em português. A jovem artista de 20 anos reencontra suas raízes brasileiras e apresenta um som mais leve que evoca suas memórias afetivas. O EP «Alecrim» estará em todas plataformas digitais desta sexta (19), a partir de 1h da manhã. No mesmo dia, às 17h, ela realiza uma live no seu Instagram (@mairamusic), interpretando as obras do novo trabalho.

“Nesse período em São Paulo, fiz aulas de canto e de violão, e procurei me conectar bastante com minha identidade brasileira. O EP inclui músicas importantes para mim, como o arranjo da canção de Sting “Fields of gold” com a cantiga de ninar “Alecrim dourado”, que fez parte da minha infância”, explicou Maíra.

Duas faixas do EP já foram disponibilizadas: a autoral “Campo de flores”, composta em parceria com a paulista Marcella Pia (Chella), e “Lá vou eu”, de Rita Lee. No próximo domingo, a cantora também lança no seu canal do YouTube o clipe de “Lá vou eu”. O vídeo faz uma homenagem à capital paulista, com participação de Pedro Gabriel, que ficou nacionalmente conhecido pelo perfil no Instagram @eumechamoantonio, e presta solidariedade às pessoas afetadas pela Covid-19. “Pra mim, é a música que mais combina com São Paulo. É linda e tem tudo a ver com este momento de agora. Acho que faz um tempo que ela não é gravada e inspira várias gerações”, declarou.

Formado por cinco faixas, o EP “Alecrim” também traz a canção “Leve e suave”, de Lenine, e “Quem me levará sou eu”, de Dominguinhos, escolhida em homenagem à sua herança nordestina. “Decidi abrir com ‘Leve e suave’, que é quase uma meditação. Acho incrível e foi uma inspiração da energia musical de todo o EP. Todas as músicas têm essa pegada leve e suave. Como o Brasil está numa situação bastante complicada, eu quis também mostrar, principalmente pra quem não é do Brasil, o lado belo do país: a música, as pessoas amorosas, a leveza”, ressaltou.

Para conceber o EP, Maíra contou com o talento dos músicos Marcos Romera (piano, sanfona e arranjos), Noa Stroeter (baixo), Danilo Silva (guitarra) e Vitor Cabral (bateria e percussão). As gravações foram feitas no estúdio Space Blues, em São Paulo. A mixagem e a masterização ficaram por conta do técnico de som Alexandre Fontanetti.

Filha de mãe brasileira (de Campina Grande) e pai suíço, Maíra nasceu na Basiléia, Suíça, e cresceu em Rheinfelden, pequena cidade medieval onde mora com sua família. Descoberta por um vídeo que gravou sozinha e postou no Youtube, foi convidada a se inscrever na primeira edição alemã do The Voice Kids e chegou à semifinal do reality show. Desde 2013, o vídeo em que interpreta “Fuckin’ perfect”, da norte-americana Pink, com aprovação de todos os técnicos, já conta com quase 14 milhões de visualizações na internet.

Seu trabalho de estreia, o EP “Identity”, está disponível nas plataformas digitais desde outubro de 2018 e tem cinco faixas com letras e melodias assinadas por Maíra. A faixa “Frozen” tem a participação especial do guitarrista carioca Romero Lubambo, vencedor de um Grammy Latino. No ano passado, a cantora fez uma turnê para lançar «Identity» no Brasil. Apresentou-se em algumas das principais casas de jazz de São Paulo (Jazz nos Fundos, All of Jazz, Madeleine Jazz Bar), no Rio de Janeiro (Beco das Garrafas), e também em João Pessoa e Campina Grande. Quando o período de isolamento acabar, ela pretende fazer uma nova temporada em terras canarinhas.