Câmeras de CG vão monitorar distanciamento e uso de máscaras

Câmeras de vigilância da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) vão monitorar o uso de máscaras e o cumprimento das regras de distanciamento social pela população de Campina Grande.

O sistema baseado em inteligência artificial foi desenvolvido por uma equipe de especialistas da startup Nuveo, incubada na Fundação Parque Tecnológico da Paraíba. Conforme a empresa, um software, disponibilizado para a Prefeitura de Campina Grande, é capaz de gerar métricas como contagem de pessoas e o percentual de uso de máscaras de proteção individual, que auxiliarão no controle da doença e também nas medidas sanitárias dos responsáveis de saúde.

O uso de máscaras de proteção facial é obrigatório na Paraíba desde o dia 2 de maio, conforme decreto estadual 40.217. Além disso, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as pessoas deveriam usar máscaras e andar separadas por, pelo menos, dois metros ao caminhar na rua.

“Evitar a propagação da Covid-19 tem sido um desafio para governos do mundo inteiro, e a tecnologia vem se mostrando uma forte aliada nesse combate. Através do sistema de reconhecimento do uso de máscaras de proteção em Campina Grande damos mais um avanço, e nossa cidade se torna uma das mais inteligentes do país, pioneira no uso de um software de visão computacional para evitar a propagação da doença”, disse o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Campina Grande, Lucas Ribeiro.

Ele adiantou que a privacidade das pessoas será mantida. “Os dados coletados pelas câmeras não incluem nenhuma informação de identificação sobre as pessoas. O software apenas detecta o rosto e com base na imagem, consegue identificar se está ou não usando máscara”, explicou.

Segundo o superintendente da STTP, Félix Neto, inicialmente o sistema irá coletar imagens de câmeras posicionadas na área central com maior tráfego de pedestres, como as ruas Peregrino de Carvalho e Marquês do Herval, além das proximidades da Praça da Bandeira, podendo ser expandido para outros pontos, conforme avaliação da equipe responsável.

“As câmeras estão apontadas para as calçadas, vendo as pessoas que entram e saem dessas ruas. Quando o pedestre entra na área de captação da câmera, o software identifica se ele está ou não usando máscara. Assim podemos gerar relatórios quantitativos e encaminhá-los para a Secretaria Municipal de Saúde, que fará uso dos dados para tomar medidas mais precisas para evitar a transmissão do vírus na nossa cidade”, explicou o superintendente.

Codecom