Câmara de Campina Grande e Unicef promovem debate sobre papel das mulheres na política

A importância da participação das mulheres na política foi o assunto debatido em audiência pública, na manhã desta terça-feira (10), na Câmara Municipal de Campina Grande. A audiência teve como origem uma propositura da vereadora Ivonete Ludgério (PSD), através da Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos da Mulher, em parceria com Núcleo de Cidadania dos Adolescentes (NUCA) do Unicef.

Além de várias lideranças femininas, a audiência pública contou com a participação dos estudantes da Escola Roberto Simonsen. As adolescentes Wenderlãnya Medeiros e Rafaela Sampaio usaram a tribuna, em discursos rápidos, pedindo mais espaços para a mulher na política e direitos iguais. Outros estudantes acompanharam o debate no auditório da Casa de Félix Araújo.

A vereadora Ivonete Ludgério, que atualmente ocupa um cargo de liderança na Presidência do parlamento municipal, falou das dificuldades enfrentadas ainda hoje para que as mulheres consigam ter uma participação efetiva na política. De acordo com Ivonete, além de sofrer violência física e psicológica, muitas mulheres são desencorajadas pelo público masculino a participar ativamente da política, de modo que o espaço para elas acaba sempre ficando mais restrito a cada ano.

A relação política e educação foi amplamente abordada pelas participantes do debate. Para elas, todo o processo deve iniciar na escola, trazendo o assunto para o debate no ambiente escolar e envolvendo o público feminino desde a adolescência. Para a presidente do Conselho de Educação do município, Rilma Sueli, a política é um espaço de convivência e igualdade entre homens e mulheres. Ela estacou que essa participação também é um direito primordial da mulher.

A articuladora do selo Unicef no município, Socorro Siqueira, solicitou aos vereadores uma maior atenção para este tema, incluindo mais ações em benefício das mulheres nos projetos produzidos pela Casa. Já a diretora da Escola Roberto Simonsen, Patrícia Lira, agradeceu o importante espaço e lembrou que, apesar dos números alarmantes sobre a violência contra a mulher, há de se reconhecer que houve avanços, mas mesmo assim é necessário abrir mais espaço para a participação das mulheres não apenas na política, mas no mercado de trabalho em geral.

Esta foi a última atividade do ano promovida pela Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Mulher. Um ampla agenda de debates e ações já está sendo planejada para todo o ano de 2020.

Divisão de Imprensa e Relações Públicas