Bruno diz que não vai se envolver pessoalmente na disputa do segundo turno em João Pessoa

Se havia alguma dúvida quanto a pouca influência do grupo ainda liderado pelo ex-governador e ex-senador Cássio Cunha Lima nas eleições da capital a postura do prefeito eleito em primeiro turno Bruno Cunha Lima dirime todas: Bruno declara sua neutralidade e coloca os pontos nos ii evidenciando que o apoio ao candidato do MDB, Nilvan Ferreira foi mais uma jogada de marketing do que propriamente uma injeção de votos, já que se sabe sobejamente a pouca densidade eleitoral do grupo mesclado de tucanos na capital fácil de se aferir reportando-se aos arquivos do TRE-PB sobre a quantidade de votos, obtida pelo principal líder do grupo nos seus embates históricos com o ex-rival José Maranhão.

Bruno não vai antecipar campanha de 2022

Demonstrando mais amadurecimento e receio das consequências que poderão advir de um embate antecipado com seu vice, Lucas Ribeiro, Bruno joga panos quentes nos hematomas que a declaração precipitada de apoio ao pupilo de José Maranhão dada por Romero provocou, mesmo antes de qualquer reação materna do seu companheiro de gestão.

Bruno não quer antecipar um confronto desenhado nas linhas do futuro sobre quem  apoiar para governador em 2022, e se diz neutro na disputa da capital, onde o candidato partido de Lucas, Cícero Lucena, parece disparar na preferência do eleitor pessoense pela sobriedade e pela maturidade, atributos que não se enxerga no candidato de Maranhão.

Para Bruno nem Cícero nem Nilvan, Campina sempre

Em sendo assim fica claro que a adesão de políticos campinenses na disputa da capital pouco tem acrescentar a Nilvan a não ser acirrar a rivalidade natural entre campinenses e pessoenses, o que seria sobremodo favorável a Cícero se souber explorar essa emulação tradicional entre as duas cidades.

Ao cumprir um roteiro pré-agendado de entrevistas em João Pessoa nesta segunda-feira, 23, o prefeito eleito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD) evidenciou sua posição em relação ao segundo turno das eleições na capital paraibana: não se envolverá pessoalmente na disputa polarizada entre o ex-prefeito Cícero Lucena (PP) e o radialista Nilvan Ferreira (MDB).

– Não se trata de neutralidade de minha parte, mas sim de uma decisão política de dedicação exclusiva à agenda Campina Grande, principalmente nesse curto período de transição – explicou Bruno Cunha Lima.

O prefeito eleito disse que naturalmente só anunciou sua posição após conversar com  o prefeito Romero Rodrigues, seu principal apoiador para a vitória de primeiro turno e presidente estadual do seu partido, o PSD.
Bruno disse que, mais uma vez, Romero demonstrou maturidade política ao deixa-lo perfeitamente à vontade para tomar qualquer decisão e ficou feliz por ele já estar focado 100 por cento na gestão do Município, a partir de janeiro do próximo ano.

Bruno disse confiar na capacidade soberana do povo de João Pessoa para escolher o próximo prefeito, mas entende perfeitamente a posição de Romero e do PSD no tabuleiro político da Paraíba, e partidariamente é solidário aos projetos da legenda.