Blindagem de Estela confirma advertência do MPF sobre o poder de fogo de Ricardo Coutinho e sua organização criminosa: Poderes na PB estariam subjugados e aterrorizados por chantagens e ameaças

Já há uma convicção que os poderes na Paraíba estariam subjugados a Ocrim desbaratada pela Operação Calvário. Em seu relato o Mistério Público ressalta e enfatiza que ninguém pode duvidar do poder de pressão e de intimidação do ex-governador Ricardo Coutinho sobre os poderes constituídos do Estado paraibano.

Essa casa pode te sido “alugada” pela Ocrim socialista

É uma advertência que arrepia e causa estremecimento e pavor principalmente pelo reconhecimento dos investigadores sobre a capacidade de intimidação e subjugação do chefe da organização criminosa montada com o objetivo de saquear o estado e de se perpetuar como hegemonia política.

Trecho da denúncia do Ministério Público realça os poderes de Ricardo sobre os outros Poderes

Em muitos setores da sociedade prevalece uma convicção de que, não fosse o Ministério Público do Rio de Janeiro a conduzir as investigações nada do que foi revelado teria sido revelado e a organização continuaria atuando tranquilamente na sua missão de espoliar os paraibanos.

Estela não quis ver o sol nascer quadrado ao lado da companheira

O que foi revelado pelas investigações, que ontem adentrou em três gabinetes de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado à procura de documentos e evidências de cumplicidade, subalternidade e parceria de integrantes do órgão aos ditames do ex-governador e sua quadrilha, comprova a sujeição que foi imposta aos poderes, denunciada pelos procuradores que comandam as investigações.

Dos sete conselheiros titulares, quatro estão sob suspeitas de envolvimento com esquema de corrupção e já foram alvos de busca e apreensão numa evidente demonstração de que as instituições paraibanas foram e estão contaminadas pela saliva corrosiva dos corruptos.

Depois de arquivar 21 processos contra Livânia, conselheiro André Carlos é visitado pelo Gaeco em seu gabinete

A decisão da Assembleia Legislativa de livrar a cara de uma das personalidades criminosas, mais evolvidas com o esquema de corrupção, demonstra todo poder da quadrilha que vem aterrorizando, amedrontando e subjugando os Poderes, como foi identificado e advertido pelo Ministério Público Federal ainda imune a essa baba pestilenta destilada pelo monstro de sete cabeças, escondido no Palácio da Redenção, e que parece também estar paralisando o governador João Azevedo.

Juiz teria ligações perigosas com esquema de Ricardo

Esse esquema criminoso ganhou dimensões que fogem à compreensão do cidadão pelo enorme poder adquirido através de muito dinheiro, de muita pressão, de muita chantagem e de nenhum resíduo de vergonha, cuja capacidade de dissimulação se esconde por detrás das faces mais hipócritas e dos discurso mais cínicos, que tem como exemplo acabado a nota do ex-governador quando se dirige aos paraibanos mostrando-se perseguido, injustiçado, caluniado e ultrajado pela Justiça e pelo Mistério Público, autores de peças processuais, segundo ele, com acusações genéricas, que não o atingem, reproduzindo aquela defesa que notabilizou os canalhas desse país.

deputados reunidos para livrar Estela das grades

Ao derrubar a sentença da Justiça que mandava prender Estela, os parlamentares não deram um exemplo de independência e autonomia muito pelo contrário: reforçaram a advertência dos investigadores sobre a capacidade e poder de pressão e chantagem que o esquema criminoso liderado pelo ex-governador possui e ostenta de forma tão acintosa.

Já ficou claro que a maior parte do dinheiro desviado serviu para irrigar campanhas políticas no Estado e ao livrar a cara de Estela, eles confirmam que a baba pode estar subindo as calçadas da Assembleia e ameaçando afogar todos, ou boa parte deles, na lama da corrupção produzida pelo ex-governador e que resultou na eleição de muita gente principalmente quem aterrissou na Casa de Epitácio.