Bayeux despreza a mais bem acabada infraestrutura de estrada, porto, aeroporto e ferrovia para se dedicar a política barata da mesquinhez e da corrupção

Bayeux é uma cidade destinada ao atraso e de permanecer no atraso pelo atraso da mentalidade política que prospera na terra dos manguezais. A disputa deste ano enfatiza essa propensão para o atraso quando se mede a estatura dos candidatos e a motivação que levou as alianças partidárias.

Bayeux é servida de aeroporto…

Uma verdadeira colcha de retalhos surgiu das alianças entre partidos e políticos de Bayeux expondo as mais nebulosas negociações onde o pudor e a ética sumiram por debaixo dos panos mostrando que o cenário de corrupção que se alastrou nas últimas décadas deve continuar de pé sustentado pela mais fina nata da malandragem.

Um cenário onde alguns fantoches representam o papel que lhes foi designado pelos espertalhões e pelos manipuladores do Poder sentados em influentes e poderosos gabinetes.

…de rodovias, BR 101 e 230

A melhor expressão desse dramalhão político seria a prefeita Luciene de Fofinho indiretamente eleita por um colégio eleitoral dos mais desacreditados, onde as escaramuças, inspiradas pela corrupção local, terminaram decidindo o pleito.

Sem muita projeção na combalida paisagem eleitoral de Bayuex, Luciene se esconde por trás da cadeira de prefeita evitando as associações que lhe são feitas com Berg Lima, o prefeito afastado e flagrado com dinheiro na cueca.

Com pouco tempo para exercer o mandato e de impor um perfil de administradora Luciene sustenta sua campanha no assistencialismo crônico que sempre norteou as gestões municipais da cidade e com aqueles favores, pouco republicanos, que tanto favorecem as camadas mais necessitadas do eleitor e que tem como carro chefe a distribuição de feiras e material de construção como também a quitação de contas de luz e agua, além da compra de gás, hoje tudo muito pratico depois do advento das maquinetas.

De ferrovias

Não há um só programa de Governo apresentado. Nada que estimule o desenvolvimento, o progresso sustentado na indústria mesmo sendo Bayeux uma cidade de raríssima infraestrutura angariada gratuitamente já que construída por outros Governos, estadual e principalmente federal.

Tudo o que uma indústria precisa para se instalar Bayeux tem: do aeroporto ao porto, das estradas à ferrovia, mas toda essa riqueza que garante a escoação de qualquer produção industrial é solenemente ignorada pela classe politica de Bayeux e a cidade se arrasta nas trevas do atraso sem que nada nem ninguém desperte para esse potencial.

E de porto a menos de 20km

Trocam-se insultos, promete-se esmolas, armam ciladas, cospem no prato que comeram, mas jamais os políticos atentaram para o potencial de Bayeux, que pode ser rica e influente se eles soubessem aproveitar o potencial de infraestrutura com a qual foi contemplada, mas da qual não sabe tirar o menor proveito.

Mais uma eleição se realiza e não se encontra nenhum candidato disposto acionar o progresso da cidade a não ser um apelo solitário de ordem e progresso proferido por um certo capitão Sena.

Acorda Bayeux!