Auxílio emergencial terá duas novas parcelas de R$ 300

O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou, nesta terça-feira (09), que o Governo Federal vai estender por mais dois meses o pagamento do auxílio emergencial. Antes para três meses, agora a ajuda terá duração de cinco meses.

De acordo com o ministro, o valor será reduzido para metade do valor. Quem recebe R$600, terá mais duas parcelas de R$300 e quem atualmente recebe R$1200, receberá R$600 nos dois meses adicionais.

O anúncio foi feito pelo ministro da Economia

Apesar de ainda não ter sido detalhado pela pasta, o calendário do pagamento dessas parcelas deve seguir o modelo aplicado nos meses anteriores.

Congresso quer aumentar valor sugerido por Guedes em prorrogação do auxílio

Deputados e senadores ouvidos pelo Congresso em Foco discordam do valor de R$ 300 proposto pelo governo federal para prorrogar o auxílio emergencial e já se articulam para que o benefício permaneça em R$ 600.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou a prorrogação nesta terça-feira (9) durante reunião ministerial.O projeto aprovado pelo Congresso permite, se o Poder Executivo desejar, fazer a prorrogação do auxílio, mas, como o valor defendido pelo governo é menor que o da lei, será necessário o envio de nova proposta, possivelmente uma medida provisória, para ser analisada pelo Congresso.“Falam em R$ 300,00 para tentar fechar em R$ 500 ou R$ 600. Medo do Congresso querer aumentar. Não vai querer acelerar [o envio do projeto] para não antecipar a discussão. Mas quando chegar, temos condições de votar em 48 horas em cada Casa”, disse a presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Simone Tebet (MDB-MS).

O líder do PSB na Câmara, Alessandro Molon (RJ), disse ser favorável à prorrogação, mas critica a redução do valor. “Estamos trabalhando para encontrar os recursos necessários para garantir a prorrogação a R$ 600”, declarou.