Assombração: Cabo Gilberto diz que João ainda não desencarnou do PSB e mantém os fantasmas do partido arrastando correntes na sua gestão

O deputado Cabo Gilberto faz uma observação pertinente quando avalia o desempenho da gestão do governador João Azevedo sem partido, mas ainda com os cacoetes do socialismo que ajudou erguer no estado.

Na sua avaliação o deputado diz que João ainda não mostrou serviço e isso teria implicações com a equipe que o governador mantém basicamente composta por auxiliares, umbilicalmente, ligados ao ex-governador Ricardo Coutinho, cuja gestão chafurda na lama produzida pelas investigações da Operação Calvário.

Deputado afirma que João ainda não se livrou dos fantasmas do passado

A observação do deputado oposicionista reflete a opinião geral de quem acompanha a cizânia socialista, onde os remanescentes do Governo passado permanecem intocáveis, principalmente em áreas onde atua o representante de Bolsonaro na Paraíba, mesmo o governador já tendo detectado e denunciado ações de boicote e de sabotagem a sua gestão.

Uma situação insustentável que sugere ações mais enérgicas, que possam remover esses entulhos deixados pelo Governo passado e que jamais pedirão para sair já que instruídos para permanecer minando e atacando internamente a gestão como voltou a ocorrer na CINEP.

Cabo Gilberto diz que não se recusará ajudar o governador junto ao Governo Federal quando for do interesse do estado

Nesse aspecto o deputado tem toda razão, porque não se explica como um Governo que vem sendo boicotado, sabotado e espionado mantenha o inimigo dentro de casa.

Fica difícil até para emprestar apoio diante dessa hesitação do governador em não se desfazer de quem já deu sobejas demonstrações de deslealdade e que se ampara há muito tempo no sucesso alheio para arrotar competência.

Segundo Gilberto, fantasmas socialista continuam assombrando João

O deputado manifestou a intenção de servir de ponte para as necessidades da Paraíba junto ao Governo Federal e de apoiar sem restrições tudo o que for benéfico para os paraibanos e para o estado apesar de reconhecer que o governador ainda continua preso ao partido que deixou mantendo na sua gestão muito do que ainda vai ser desacreditado pelas investigações, salientando que, até agora o que foi mudado foi por força da Operação calvário e da Justiça e pelo visto vai continuar assim até que toda quadrilha seja desbaratada.