Aluísio Régis rouba a cena na solenidade de posse e elege vereador do PSB presidente da Câmara

Não foi das mais alvissareiras muito menos promissora a festa de posse da Prefeita Karla Pimentel, no Conde. Afora a derrota para a presidência da Câmara, onde parte de sua base de apoio debandou para a oposição, elegendo o candidato do PSB, a prefeita, vitoriosa nas urnas, recebeu um sinal de alerta para futuras escaramuças, partido do sogro e padrinho politico, Aluísio Régis, que declarou guerra a nora, lançando-se candidato para 2024, uma antecipação que prenuncia um futuro de conflitos políticos e familiares, para Karla.

Aluísio vociferando contra a nora

A derrota tirou o brilho da posse e vislumbrou nuvens negras no horizonte do Conde. O episódio recolocou no cenário e protagonista da solenidade, o ex-prefeito Aluísio Régis, quando este uniu-se ao esquema da prefeita derrotada, Márcia Lucena – a quem nutria uma hostilidade que desceu aos limites do insulto pessoal e que rendeu processos por ofensas a honra – para eleger Luzimar Nunes, PSB, legítimo representante dos mais ferrenhos adversários do controvertido líder condense, que ameaça voltar em 2024.

Alterado e intempestivo, Aluísio não considerou os níveis de parentesco nem de consanguinidade e reviveu os melhores tempos da pistola e da chibata, desta vez apontadas para a própria família, depois que destroçou a reputação da ex-mulher, Tatiana Correa, a quem nominava com os adjetivos de mais baixo calão em campanhas passadas.

Aluísio tirou o brilho da esta de Karla

Em uma mudança de rumo, brusca e intempestiva, bem ao seu estilo temperamental, Aluísio deu uma sobrevida ao moribundo esquema de Márcia Lucena e Ricardo Coutinho, mostrando que já sofre de miopia politica ao não conseguir mais enxergar os perigos da estrada por onde caminham os interesses do município.

Notadamente aqueles que estão atrelados ao trade turístico, criminosamente sufocado por uma estratégia que visava desvalorizar para entregar.

Dominado pela fúria cega que já o fez cometer muitas bobagens – inclusive um homicídio involuntário-, Aluísio ganhou a Câmara mas perdeu o respeito de segmentos importantes da economia local como o turismo, que vislumbra na atual gestão um instrumento de recuperação do setor, ignorado e sucateado para atender fins considerados ilícitos por muitos empresários locais.

Resumindo: uma vitória de Pirro a de Aluísio, até porque ninguém pode esperar lealdade de traidores, principalmente na hora do cancão piar; e os pedidos de empregos permanecerem adormecidos na gaveta da prefeita humilhada.

Dor de barriga em cachorro magro, não dá só uma vez.