ALPB concederá em breve Medalha in memoriam

Nesta quinta-feira (14), a cidade de Cajazeiras celebra o centenário natalício do Monsenhor Luiz Gualberto de Andrade (1921-2007). Diversas instituições comemoram a data e a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) também, através de uma sessão especial que será presidida pelo deputado Jeová Campos, na Câmara Municipal de Cajazeiras, às 17h. Mas, a homenagem da ALPB não se encerra na referida sessão. Dentro em breve, a Casa de Epitácio Pessoa concederá ao Monsenhor – in memoriam – a Medalha Padre Inácio de Sousa Rolim.

 

            A propositura, aprovada em plenário no final de setembro, é do deputado Lindolfo Pires, mas, o parlamentar que estava no exercício do cargo à época, na realidade, atendeu um pedido do titular do mandato e autor intelectual da proposta, deputado Jeová Campos. A data da solenidade ainda será agendada, mas Jeová já anuncia o evento com alegria. “A Assembleia tinha que honrar essa personalidade que tanto fez pela Educação do nosso estado. O padre Gualberto, que também foi professor, primeiro diretor do campus da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), diretor da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Cajazeiras e ocupou outros cargos, tem uma história de dedicação à população sertaneja e tenho muita satisfação com a outorga dessa Medalha”, comentou o deputado.

 

Luiz Gualberto de Andrade também é patrono da Academia Cajazeirense de Artes e Letras (ACAL), Cadeira 28, ocupada pelo padre Francivaldo do Nascimento Albuquerque e foi pároco em Patos, Itaporanga, São José de Piranhas e Cajazeiras. “Padre Inácio de Sousa Rolim tem uma história que une religião e Educação também. Foi fundador de Cajazeiras com as atividades da escolinha da Serraria, na época uma casa pequena que abrigava estudantes que queriam ingressar no ensino superior. Ali ele começou uma revolução. Monsenhor Gualberto seguir esse mesmo caminho e fez de sua vida uma sintonia de religião e educação e contribuiu com o conjunto cultural da formação de Cajazeiras e merece essa homenagem”, concluiu Jeová.