Abuso:OAB-PB denuncia agressões de policiais contra advogado; Comando da PM lamenta episódio e diz que oficial foi afastado

Um episódio lamentável que chama a atenção pela truculência e pela ousadia de alguns personagens absolutamente despreocupados com as consequências e os desdobramentos de uma agressão desnecessária que insinuaria um objetivo de demonstrar que a tropa postas nas ruas, para oferecer segurança, estariam fora de controle e com outros propósitos, camuflados pela violência demonstrada na prisão do advogado em Guarabira.

Escala desumana estaria comprometendo o trabalho da PM

O vídeo apresenta uma policia estressada sem o necessário controle dos nervos provavelmente pela excessiva carga de trabalho onde uma escala desumana estaria comprometendo a saúde do escasso efetivo, defasado em quase 10 mil homens, necessários para que o indispensável trabalho da instituição chegue ás ruas sem a carga de intolerância apresentada para os fatos mais banais, como  este episódios de Guarabira.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba, divulgou nota denunciando a agressão e afirma que Fábio Meireles estava no exercício da profissão, quando foi detido de forma “truculenta, injustificável e desproporcional Um advogado foi detido durante uma manifestação política, nesse domingo (1º), no município de Guarabira, no Brejo da Paraíba. Imagens e vídeos compartilhados nas redes sociais mostram o homem sendo imobilizado, de forma truculenta, por vários policiais miliares durante o evento ao questionar uma suposta intervenção dos militares no ato de campanha.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), divulgou nota denunciando a agressão. Nela, a Ordem afirma que Fábio Meireles estava no exercício da profissão, quando foi detido de forma “truculenta, injustificável e desproporcional”. Fábio foi derrubado no chão e algemado. A polícia alegou desacato.

“A polícia militar, como corporação integrante da segurança pública, tem função essencial e primordial para a sociedade ao exercer o policiamento ostensivo, devendo fazê-lo com firmeza, quando for o caso, mas com urbanidade e controle da situação, como se espera de qualquer agente público de segurança”, diz a OAB-PB.Comando da PM emite nota
A Polícia Militar da Paraíba divulgou nota em que se manifesta sobre a acusação de abuso de autoridade ao prender o advogado após desentendimento durante cumprimento de ordem judicial da Justiça Eleitoral no município.

Segundo o Comando Geral da PMPB, “o oficial que comandou a ação foi afastado das atividades operacionais até que seja concluída a apuração do caso, sempre dentro do processo de preservação de direitos, como a Polícia Militar e OAB-PB defendem.”

“A corporação lamenta o episódio, pois envolve integrantes de duas instituições parceiras, que possuem histórico de união, respeito e compromisso com o cidadão paraibano, que são a Polícia Militar e a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Paraíba”, diz trecho.

Ainda segundo a nota, o oficial que comandou a ação foi afastado das atividades operacionais até que seja concluída a apuração do caso e será solicitado o acompanhamento da apuração, junto ao encarregado, de membro do Ministério Público Eleitoral.