João abre as portas para o futuro e oferece alternativas de expansão para o Litoral Norte

O Plano Estadual de Parceria Público-Privado publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (14) pode tornar realidade o que já foi sonho de emancipação econômica da Paraíba, cujos projetos de caráter transformador da realidade sócio econômica dormitavam nas gavetas do Planejamento sem explicação racional para sua hibernação administrativa.

A ponte para o progresso

Com a publicação do PPP, nesta quinta, projetos redentores, restritos às cartas de intenção, podem sair do papel e redimir o Litoral Norte do seu atraso secular com a construção da ponte ligando Cabedelo a Lucena com um vão 1.200 metros, que deve remover a distância entre o atraso e o desenvolvimento, possibilitando que projetos como o Estaleiro de Lucena e o Poço de Águas Profundas de Mataraca saiam do papel e do âmbito das boas intenções.

Estaleiro representa investimentos de 3,5 bilhões

Muito já se ensaiou sobre essas duas obras fantásticas, que podem retirar o Litoral Norte do seu isolamento e possibilitar um impulso descomunal a economia paraibana só assim emparelhada com outros estados da região em termos de empreendimentos que ampliem as suas fronteiras comerciais.

Porto de Águas Profundas representa investimento de 4,5 bilhões

O governador João Azevedo pode entrar para a história do Estado investindo exatamente onde começou a história do Estado livrando-se das amarras políticas que imobilizou seu antecessor, preso a compromissos pessoais, que o impediram de mover a roldana do desenvolvimento para não abrir concorrência com parceiros de ideologias.

Juntos, Estaleiro e Porto de Águas Profundas, representam investimentos da ordem de quase 8 bilhões de reais, impulsionando a economia do estado de forma vertiginosa e sem precedentes fazendo com que o estado ganhe projeção internacional haja vista a dimensão dos parceiros que serão atraídos.

Chineses e americanos – e outros investidores – aguardam apenas que o governador João Azevedo acione os botões de partida para aportarem no Litoral Norte e darem início a um novo ciclo de prosperidade, retomando o caminho histórico por onde tudo começou.