Reação dos vereadores socialistas da capital confirma que Ricardo estraçalhou o PSB na PB

Se as declarações do ex-governador Ricardo Coutinho, nomeado interventor pela direção nacional do partido na Paraíba, precisava de resposta, essa foi dada pelos vereadores da capital, Leo Bezerra e Tibério Limeira, duas jovens lideranças socialistas, que ameaçam sair do partido caso a decisão não seja revista.

Em entrevista, logo após a decisão de nomeá-lo interventor, Ricardo recorreu a democracia para justificar o ato de força praticado pela direção nacional induzida por ele a dissolver o diretório estadual numa demonstração de truculência, que estarreceu os dois jovens parlamentares, dispostos a se insurgirem contra a decisão, considerada estapafúrdia.

Se já havia dúvidas quanto à liderança até então inconteste do ex-governador, suas ações de bastidores revelaram o quanto se afastou do conceito de democracia e o quanto afundou no descrédito popular a partir das denúncias que o Gaeco protocolou na Justiça e resultou em prisões e exonerações do serviço público de auxiliares umbilicalmente ligados a ele e que teria agastado o velho soba socialista.

Para quem foi atrás de lã, Ricardo saiu tosquiado nessa disputa com João Azevedo e pode receber como resultado um partido encolhido e sem a pujança que o fez ganhar em primeiro turno as ultimas eleições, revelando toda extensão do desastre que sua arrogância produziu e como resultado final da rasteira que pretendia dar, o partido ainda pode perder um governador e vários deputados estaduais, que seguiriam o caminho dos vereadores da capital.

Em cima de queda coice.

Diáspora socialista

Os vereadores de João Pessoa filiados ao PSB, Léo Bezerra e Tibério Limeira, divulgaram uma carta na manhã desta terça-feira (10) comentando sobre os últimos acontecimentos envolvendo as questões partidárias.

Eles classificam a decisão do Diretório Nacional para o imbróglio no estado como a “pior possível”. Além disso, de forma direta, eles expressam que poderão deixar o partido caso as decisões não sejam revistas.

Confira carta na íntegra

Em defesa da democracia no PSB

O desfecho dado pela direção nacional do Partido Socialista Brasileiro ao tumultuado e mal explicado processo de dissolução do Diretório Estadual da Paraíba foi o pior possível. A nomeação de uma comissão provisória, onde a maioria dos integrantes sequer foi consultada, é a demonstração inequívoca de que houve efetivamente uma intervenção promovida pela direção nacional do partido.

Pelo tamanho que tem a liderança do ex-governador Ricardo Coutinho, cujo legado político inclusive lhe credenciaria para ser presidente nacional do PSB, não havia a necessidade de ascender à presidência estadual na condição de interventor. Bastaria que, ao invés de agir nos bastidores, as pessoas que incentivaram a dissolução do diretório estadual pudessem garantir o exercício do debate e o respeito à democracia interna, sem a necessidade de uma crise exposta publicamente.

Num cenário onde as forças conservadoras se alvoroçam, a unidade do campo progressista deveria balizar a conduta dos agentes políticos. O gesto de desrespeito aos dispositivos estatutários e aos valores democráticos maculou a história deste projeto e empurra pra longe o direito à livre opinião e ao exercício da autonomia.

Reafirmamos o nosso compromisso com os valores democráticos; reafirmamos a liderança do companheiro João Azevêdo e do governo que ele conduz; reafirmamos a necessidade de unidade do campo progressista num cenário de escalada do discurso conservador; e afirmamos, sem medo de errar, que se tais práticas antidemocráticas não forem revistas, a nossa permanência no partido ficará insustentável e o PSB poderá perder importantes lideranças.

Tibério Limeira

Léo Bezerra

Vereadores – PSB

João Pessoa, 10 de setembro de 2019.

 

Fonte: Redação/Paraíba já

Leave a comment