Nua, abandonada e linda, Tambaba se revelava presa fácil para os aventureiros da gestão passada; entidades naturistas pedirão na Justiça revogação de decreto da gestão RC

As revelações feitas ao Blog do jornalista Helder Moura confirmam todas as suspeitas que já inquietavam quem conhece a praia de Tambaba e seus arredores. Passa-se a compreender todo esforço para se colocar no Poder um agente da extrema confiança do esquema que vem sendo desmantelado pelas investigações do Grupo de Combate ao Crime Organizado nunca tão organizado como este que se movimentava no interior do governo de Ricardo Coutinho.

Com a prisão de Ivan Tambaba permanece livre

Um projeto ambiental, que dormitava pelas gavetas da burocracia estatal, foi ressuscitado e adequado aos interesses dos integrantes da Ocrim que comandava as ações de Governo da gestão passada e estendeu o olhar cobiçoso para as potencialidades de uma praia que, pouco ou nada recebeu em termos de atenção de sucessivas gestões.

Nua, abandonada e linda, Tambaba se revelava uma presa fácil para os glutões da sociedade secreta que agia no interior do Governo passado a realizar negócios fantásticos com o dinheiro o público.

O sonho de privatizar Tambaba terminou nas grades

Um dos mais sofisticados e insinuantes agentes desse esquema passou a frequentar Tambaba e começou se filiando a uma sociedade naturista que, em priscas eras, desenvolveu papel importante para difundir o naturismo na Paraíba: o hoje presidiário Ivan Burity, o homem que removeu mundos e fundos para entregar Tambaba à cobiça internacional.

Lutando contra tudo e contra todos, inclusive contra a legislação vigente, que protege a praia desses avanços predatórios, Ivan preparou o ambiente para o decreto avassalador de Ricardo, que transformou em parque turístico uma área de 200 hectares, destinados à implantação de empreendimentos hoteleiros suntuosos, para plena satisfação dos endinheirados de todo mundo, que se apossariam de Tambaba, expulsando a comunidade local e os pequenos comerciantes da praia.

Tudo o que foi construído na área doada a entidade forasteira: essa palhoça

Plano perfeito já em andamento com discretos investimentos urbanísticos na orla como forma de dourar a pílula e com os entraves burocráticos removidos a golpes de caneta para satisfação e gáudio do delirante ex-secretário de turismo cuja movimentação solitária nas sombras agora foi revelada pelas investigações policiais.

Mas não seria apenas a cobiça monetária que moveria Ivan. Outros sentimentos o impulsionaram e preparou tudo para unir o útil ao agradável: frequentador assíduo e amigo do proprietário da pousada VilaAmor, um empreendimento voltado para o swing, Ivan sonhava transferir para as areias escaldantes de Tambaba e para seus refúgios naturais, o clima sensual da pousada e as liberalidades de Cap dage, famoso balneário francês onde tudo é permitido menos proibir.

Projeto pode se transformar em mais um sonho de verão

Para consumar esse plano sensual, Ivan foi buscar parceria fora do estado talvez por não acreditar na disposição local para os avanços que sonhava implantar em Tambaba e trouxe a Federação Naturista e seu presidente, que também é dirigente do balneário Naturista de Abricó no Rio de Janeiro, reduto naturista que abraçou a sodomia como norma de conduta para os frequentadores.

Enfim, tudo caminhava maravilhosamente bem, com todos os detalhes consumados – o decreto abrindo as portas para os investimentos imobiliários fantásticos, área doada à federação, que já impunha ordens e regras, em Tambaba, resultando no aumento visível da homossexualidade como gênero predominante na praia, resumindo: o agente do esquema criminoso realizou com perfeição sua missão de “privatizar” o parque turístico criado por Ricardo Coutinho.

Tambaba estará em festa este final de semana, recebendo os verdadeiros amigos

Mas, no caminho tinha uma pedra, e essa foi suficiente para arrancar a cabeça do dedo de Ivan, O Terrível, e as malhas da Lei alcançou o secretário antes que ele usufruísse do extraordinário projeto de evoluir Tambaba as alturas de Cap d´adge.

Órfão e sem o seu principal condutor é possível e provável que o Gaeco se debruce sobre esse fantástico e mirabolante projeto, que não acenou com nenhuma vantagem para quem trabalha e frequenta Tambaba, e que de concreto ergueu apenas uma discreta palhoça, onde alguém administra a área doada transformada em estacionamento e em meio de vida para a turma que acreditava em Ivan e sonhava se apossar de Tambaba para consumação de seus desejos.

Tambaba está em festa e comemora a prisão do seu algoz com entusiasmo, reunindo os verdadeiros amigos da praia para comemorar a vitória da Justiça sobre os espertalhões disfarçados de agentes públicos.

As entidades e os naturistas que sempre defenderam Tambaba estarão ingressando na Justiça para que o decreto seja reavaliado e esse projeto de escaldante insanidade e oportunismo revisto.

Leave a comment