Jampa News

10/08/2019 às 08:20

Zennedy, Durval e Tavares, os Três Mosqueteiros de Cartaxo para enfrentar Ricardo

Zennedy está sempre a frente dos problemas emprestando sua marca e seu perfil à gestão de Cartaxo Zennedy está sempre a frente dos problemas emprestando sua marca e seu perfil à gestão de Cartaxo

Se não foi dada a largada pelo menos já é intensa a movimentação nos bastidores e nos espaços da imprensa dos pretensos candidatos a representar o esquema do prefeito Luciano Cartaxo nas urnas no próximo ano. 
 
Seria pelo menos meia dúzia, mas apenas três se apresentam com a visibilidade que o candidato exige e necessita destacando-se com ações e postura adequada a quem quer disputar cargo de tal envergadura.
 
Dia sim dia não ou todos os dias, nos rádios, nas TVs, nos portais, enfim, onde possam mostrar sua capacidade e intenções, eles estão presentes, anunciando obras, refutando acusações, rebatendo declarações, atuantes e operantes como aconselham os manuais políticos.
 
Pela intensidade do material produzido pelas assessorias e pela enxurrada de releases que inunda as redações a briga intestina apresenta-se intensa e ninguém quer perder oportunidade atacando ruas, favelas, praças, auditórios, enfim, ativos onde haja voto e eleitor.
 
Dos três em plena ebulição eleitoral – Zennedy, Durval e Diego Tavares, o primeiro é o que apresenta o perfil do candidato que incomoda a oposição, ou melhor, o Governo, pela reconhecida capacidade técnica requisito em moda atestado e aprovado pela escolha do engenheiro João Azevedo saindo-se com galhardia da missão que o PSB lhe confiou e as urnas o designaram.
 
Zennedy tem sido constantemente bombardeado pela mídia oficial reagindo as suas atuações capazes de alterar para melhor a paisagem da capital como comprova a remoção dos camelôs do centro e de logradouros públicos, uma infestação que já havia sido combatida anteriormente pelo prefeito Ricardo Coutinho e que lhe conferiu a imagem de gestor corajoso.
 
Da CNH apreendida à venda de boxes no Mercado Central, Zennedy já foi acusado, o que confirma que sua atuação administrativa vem sendo notada e aprovada pelo eleitor mais esclarecido do estado e causando receio aos adversários, inclusive aos aliados, receosos da influência que o concorrente exerce sobre o prefeito.
 
Com os mesmos acessórios que tem consagrado João Azevedo – a formação técnica e a experiência de bastidores na condução do projeto administrativo do prefeito emprestando a gestão o dinamismo que fez de Cartaxo uma das lideranças políticas da atualidade, Zennedy se revela um oponente de respeito.
 
Com cacife suficiente para opor resistência ao mandarim socialista, alvo de ações na Justiça que podem atropelar seus projetos de retorno ao ninho que o projetou, Zennedy assusta e assusta muito haja vista os ataques virulentos partidos de setores ligados ao PSB contra sua pessoa.
 
Alternativa 2
 
A segunda alternativa do esquema de Cartaxo seria o vereador licenciado Durval Ferreira aboletado numa Secretaria perdida nos confins da orla pessoense de onde envia sinais de rádio cuja frequência até agora não se mostrou intensa ao ponto de credenciá-lo à disputa.
 
Cauteloso, detentor de um eleitorado cativo dentro das igrejas evangélicas, com votação suficiente para garanti-lo na Câmara de Vereadores, Durval seria aquele gato que tem medo de andar em telhado preferindo a tijela de leite depositada na janela restringindo-se a zona de conforto de onde faz acrobacias para valorizar o passe.
 
O Terceiro
 
O terceiro é aquele que a “Terezinha” que se encontra no Senado pode dar a mão e ajuda-lo ganhar visibilidade já que não tão conhecido assim pelo menos para quem como o editor do portal nascido e criado nessa cidade desde os idos de 53 ainda não teve a oportunidade de conhecê-lo sabendo ser apenas parente de Edme Tavares cuja lembrança política se esvai nas brumas do passado tão longínquo quanto às origens do redator.
 
Mas como em política tudo é possível e o rapaz tem uma fada-madrinha cuja varinha de condão pode produzir milagres quem sabe ele não venha prosperar politicamente e se transforme no candidato do prefeito.
 
Ao preço de hoje seriam esses os postulantes do esquema de Cartaxo a substituí-lo no Paço Municipal e, se por acaso a Justiça aparar as asas do ex-governador Ricardo Coutinho qualquer postulação ganha envergadura para disputar o pleito principalmente quando for bem conduzida como vem sendo a do secretário Zennedy a percorrer João Pessoa resolvendo problemas da magnitude do que está resolvendo na Favela São José como mostra a reportagem do portal O MOMENTO do jornalista Cristiano Machado, um dos espaços mais credenciados do jornalismo paraibano, que transcrevemos abaixo: (JAMPANEWS)
 
Zennedy Bezerra comanda realocação de 159 famílias do bairro São José
 
Dando continuidade ao projeto de pôr fim às áreas de risco em João Pessoa, iniciada pela atual gestão em 2013, a Prefeitura Municipal (PMJP) iniciou, nesta sexta-feira (9) a realocação de mais 159 famílias do bairro São José. Estas famílias que continuavam em áreas insalubres no bairro e sob o risco de inundações em suas casas começaram a ser retiradas, após diálogo com a gestão, na ação “São José sem risco” e passam a receber auxílio-moradia da Prefeitura no valor de R$ 350 para viver em um outro espaço com melhores condições de moradia.
 
O trabalho foi executado nesta manhã pela Defesa Civil e Secretarias de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) e Desenvolvimento Social (Sedes). A ação “São José sem risco” consistiu na realocação dessas famílias que tiveram suas moradias afetadas pela cheia do Rio Jaguaribe nas chuvas do mês de junho e a consequente derrubada dessas casas. Este trabalho foi realizado graças aos entendimentos e ao próprio desejo dos moradores de saírem do local após as fortes chuvas, que ocorreram em junho deste ano e também em virtude do aumento no valor do auxílio-moradia.
 
“Essas casas foram afetadas pelas fortes chuvas  de junho e, na época, algumas famílias tiveram que sair para um local mais seguro. Agora, na segunda etapa da nossa intervenção no Bairro São José, estamos retirando estas pessoas e as encaminhando para o auxílio-moradia, que subiu de R$ 200 para R$ 350 recentemente, contribuindo para que estas pessoas possam viver em um local mais seguro e livre de áreas de risco”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Social (Sedes), Diego Tavares.
 
Além de solucionar um grave problema de área de risco, como já fez no Timbó, Saturnino de Brito e em parte do próprio bairro José, garantindo moradias em áreas salubres, a ação da Prefeitura vai também permitir o desassoreamento de trecho do Rio Jaguaribe e recompor o meio ambiente na região.
 
“Vamos tirar o São José definitivamente do mapa das áreas de risco e recuperar o Rio Jaguaribe, ao mesmo tempo em que damos a oportunidade a estas pessoas de viverem em uma moradia melhor e com mais dignidade. É um trabalho resultado do diálogo que nós realizamos com os moradores e porque eles confiam na palavra desta gestão e sabem que o nosso trabalho é sério e que busca o que realmente é melhor para eles”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Zennedy Bezerra.
 
Na primeira etapa do projeto, os trabalhos contemplaram o bairro com áreas de convivência e para a prática de atividades físicas, esportivas e culturais. Ao mesmo tempo, foi construído o Residencial Novo São José, com 336 apartamentos, que recebeu famílias que moravam no bairro em condições subumanas e agora vivem uma nova realidade em seus novos lares. 
 
Por Flávio Asevêdo
Fotos: Dayse Euzébio
 
 
 
 

Fonte: Redação/Momentopb

Notícias + Lidas