Jampa News

13/03/2018 às 10:44

Tatiana e Márcia, duas mulheres, duas histórias, uma na cadeira de prefeita e a outra numa cela de presídio

Márcia escreve uma nova história política no Conde Márcia escreve uma nova história política no Conde

Duas mulheres ocupam o cenário político atual da Paraíba pelas direções diametralmente opostas que traçaram como gestoras públicas. Uma acaba de receber a aprovação plena da mais alta corte que avalia o desempenho administrativo dos agentes públicos, o Tribunal de Contas do Estado, que lhe assegurou a regularidade de sua gestão, e que vem ser a prefeita de Conde, Márcia Lucena, aprovada com mérito no seu primeiro ano de Governo.
 
A outra, a ex-prefeita Tatiana Correia, que hoje amarga o recolhimento a um presídio feminino como consequência dos desmandos praticados, enquanto gestora do município. 
 
São duas situações que revelam o quanto avançou o Conde no aspecto político-administrativo e o quanto essa gestão socialista se difere daquilo que era quase uma tradição das gestões anteriores de Conde, quando prefeitos terminavam seus mandatos, com contas reprovadas e muito deles impedidos de disputarem eleições, devido à Lei Ficha Limpa.
 
Márcia inaugura um novo tempo de transparência e de obediência às normas exigidas pela administração pública como também uma fase de respeito ao dinheiro do contribuinte, o grande prejudicado quando não se obedece ao princípio da probidade.
 
Tatiana encerra um ciclo de desmandos, de desrespeito ao dinheiro público e do achincalhe e do deboche ao que determina a Lei. Sendo a quinta receita do estado por conta de agentes públicos como Tatiana não se sabe onde foram parar esses recursos extraordinários que, se aplicados corretamente teriam feito do município um dos mais prósperos do estado.
 
O que Márcia faz e o TCE atesta e avaliza é o que todo gestor público tem a obrigação de fazer: aplicar corretamente os recursos arrecadados em prol da população como ela vem fazendo em áreas como Educação, Saúde, além de outras prioridades comuns ao gestor municipal, cujo trabalho está mudando gradativamente a face do município e que encerra um ciclo onde o público e o privado se misturavam.
 
O que Tatiana está sofrendo são as consequências para quem nunca respeitou o que determinam as leis e os códigos, inclusive os de ética e de moral. Resta a ex-prefeita agora colaborar com a Justiça e apontar quem a ajudou a dilapidar os cofres públicos.
 
 
 
 
 

Fonte: Redação