Jampa News

25/06/2019 às 09:43

Réprobo: Juízes exigem a saída de Moro da associação que representa a categoria no país

Moro recebe o repúdio de colegas que pedem sua exclusão da categoria Moro recebe o repúdio de colegas que pedem sua exclusão da categoria

Apesar de pequeno - apenas 30 juízes de todo país, não deixa de ser relevante a iniciativa desses magistrados que pedem a expulsão do colega Sérgio Malandro Moro, o Globeleza de toga, da associação da categoria que representa os juízes federais. 
 
Ao contrário de ministros da Suprema Corte como Edson Fachin e Carmem Lúcia, que se submeteram ao jogo de pressão e chantagem exercido sobre o tribunal impedido de obedecer ao que diz a Constituição, negando em seus votos, o óbvio ululante, que seria a parcialidade escancarada do juizeco de Curitiba, o grupo de juízes pede a exclusão do colega indigno de usar a toga.
 
A manifestação dos juízes repara em parte o grau de abjeção que atingiu a Justiça brasileira a começar pelo STF, onde ministros garroteados não conseguem julgar com a independência e a isenção que os cargos lhe conferem e exigem e votam contra a legislação e a consciência porque não se pode conceber que alguém com a formação jurídica que eles possuem, não encontrem sequer vestígios da parcialidade imoral que conduziu e inspirou a condenação de Lula.
 
A precipitação em negar o recurso da defesa do ex-presidente e as manobras protelatórias adotadas para não entrar em pauta são indícios que algo de muito podre se esconde nos escaninhos da Justiça e chama a atenção o alarido das forças reacionárias a arreganhar os dentes com ameaças e campanhas pelas redes sociais de insultos e impropérios, caso o STF resolva seguir a Constituição e a Lei numa inversão de valores, onde o crime recebe apoio e aplauso desde que praticado pelos poderosos, cenário que mostra ao quanto o país regrediu em termos de legalidade e a que nível chegou quanto à estabilidade das instituições, navegando ao sabor das paixões mais rasteiras e imorais tão rasteiras e imorais que a Suprema Corte não pode respeitar a Constituição como se a Carta Magna só prevalecesse quando em sintonia com os interesses das elites e os tribunais só tivessem legitimidade para condenar desafetos e adversários dos interesses da plutocracia.
 
Nesse cenário de indecências e de submissões tão indecentes quanto às praticadas pelo sacripanta de Curitiba a solicitação dos 30 juízes soa como um lenitivo para mitigar a fome de justiça que acomete a maior parcela da sociedade brasileira estarrecida diante da ignomínia praticada e do apoio imoral que vem recebendo de parte dos imorais que controlam o país, como se este país continental pertencesse a uns poucos desavergonhados tão comprometidos com a corrupção quanto o paladino que incensam em programas de rasteira qualidade onde os ratinhos da vida roem seus nacos de queijo expondo a que nível desceu o Globeleza desesperado para reter a credibilidade que lhe foge por entre os dedos de larápio.
 
Os 30 juízes salvam o que resta de decência na magistratura ao pedir a exclusão de um colega que, se atuasse em um país onde a lei fosse realmente para todos certamente não seria ministro  e estaria respondendo pelos graves crimes cometidos(Jampanews)
 
Grupo de juízes federais pede expulsão de Moro de associação da categoria
 
O ex-juiz federal Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública de Bolsonaro pode ser expulso de associação de magistrados por ter violado as leis ao manipular o processo que resultou na condenação do ex-presidente Lula; um grupo de 30 juízes federais de vários estados pediu à Associação dos Juízes Federais do Brasil a suspensão cautelar de Moro das atividades associativas
 
Reportagem do jornalista Rubens Valente na Folha de S.Paulo informa que "um grupo de 30 juízes federais de várias partes do país pediu nesta segunda-feira (24) à Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil) a suspensão cautelar do ministro Sérgio Moro das atividades associativas, inclusive da participação na Lista Ajufe, um grupo de discussão dos magistrados por e-mail".
 
Os juízes federais se somam ao clamor nacional pela apuração das circunstâncias das conversas travadas entre Moro e membros da Lava Jato no Ministério Público Federal.   O grupo de juízes está conbencido de que, se confirmadas as convefsas reveladas pelo site The Intercept, Moro deveria perder o título de sócio benemérito da entidade.   
 
"Entendemos que as condutas expostas na publicação jornalística, caso confirmadas, são totalmente contrárias aos princípios éticos e às regras jurídicas que devem reger a atuação de um magistrado, pois quando um juiz atua de forma parcial, chegando ao ponto de confundir sua atuação com a do órgão acusador, a credibilidade do Poder Judiciário é posta em xeque", diz a representação encaminhada pelos juízes federais.
 
247

Fonte: redação/portais