Jampa News

14/06/2017 às 16:55

Reitor considera uma ‘afronta’ impor o pagamento da primeira parcela do 13°

Rangel destacou que a Reitoria entrou na justiça com um mandado de segurança para que a lei de autonomia da UEPB seja cumprida. Rangel destacou que a Reitoria entrou na justiça com um mandado de segurança para que a lei de autonomia da UEPB seja cumprida.

O reitor da Universidade Estadual da Paraíba, Rangel Júnior, afirmou que esta é a primeira vez, em mais de vinte anos, que os docentes e servidores da UEPB estão sendo obrigados a receber a primeira parcela do 13° salário antecipado.
 
Em entrevista nesta quarta-feira, 14, Rangel explicou que os servidores antes tinham o livre arbítrio de pedir o adiantamento, ou não, do 13° salário, de acordo com as necessidades de cada um.
 
– Na UEPB, até o ano passado, menos de 20% dos servidores pediram antecipação do 13° salário. Houve uma decisão arbitrária do Governo do Estado, pois esse é um ato que compete ao administrativo da UEPB. É uma afronta a autonomia da UEPB. Existe um parágrafo na nota enviada pelo Governo que quem escreveu que me perdoe, mas deve voltar à escola. A Constituição de 88 trata o trabalhador do serviço público como servidor público. Quem chama servidor público de funcionário, acha que a instituição pública é uma repartição. No final da nota, ainda há uma provocação dizendo que “o governo espera que a direção da universidade cumpra e pague” – criticou.
 
Rangel destacou que a Reitoria entrou na justiça com um mandado de segurança para que a lei de autonomia da UEPB seja cumprida.
 
Ele frisou que a ação já está em tramitação.
 
Por fim, o reitor ainda disse que o governador Ricardo Coutinho “é um bom homem para diálogo, desde que não envolva dinheiro”, e que no diário oficial do Estado diz que “houve um repasse de R$ 7,490 milhões para o 13° da UEPB, mas que na tela do seaf só há R$ 7 milhões”.
 
As declarações repercutiram na Rádio Correio FM.
 
 

Comentarios da notícia

Siga-nos noTwitter

Curta nosso Facebook