Jampa News

11/04/2018 às 16:15

Quem não tem cão caça com gata e a Oposição pode apoiar Lígia para governadora

Lígia quando era assim com Dilma Lígia quando era assim com Dilma

Agora vai. Depois de ensaiar com nomes de relativa densidade eleitoral como os prefeitos de João Pessoa e Campina Grande e de vê-los desistir de entrar na arena pelos mais diversos motivos, a Oposição ao governador Ricardo Coutinho partiu para o desespero e até amigos de Eduardo Cunha surgiram como opção para o Governo do Estado. 
 
 
Em seguida entrou as opções carnavalescas como a do irmão do prefeito Luciano Cartaxo, Lucélio Cartaxo, cujo cartel como administrador inclui uma passagem pelo bloco carnavalesco picolé de manga. Não satisfeitos incluíram na ridícula lista um medíocre prefeito da região metropolitana cujo pretencioso voo parece ter sido abatido por suspeitas que o complica junto ao MP.
 
Agora vem a candidatura cirúrgica da vice-governadora Lígia Feliciano como solução para a carência de nomes competitivos. Não se sabia da importância eleitoral do casal suficiente apenas para garantir o mandato de deputado federal do marido, mas que, nessa escassez de nomes pode se tornar a solução para uma oposição desnorteada.
 
Lígia teria saído ofendida por supostas grosserias do governador depois de “namorar” com todo mundo através da mídia.
 
Lupi
 
O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, anunciou o rompimento político da vice-governadora Lígia Feliciano com o PSB do governador Ricardo Coutinho, durante entrevista nesta quarta-feira (11).
 
O presidente salientou que o rompimento não partiu de Lígia Feliciano ou do PDT, e apontou uma “grosseria” por parte do governador a sua vice: “não foi ela que rompeu; ele foi muito grosso com ela”, disse.
 
Lupi ainda afirmou que o partido está em busca de alianças no Estado para fortalecer a candidatura de Lígia.
 

Fonte: Redação/portais