Jampa News

11/07/2019 às 08:25

“Queimação” de Gervásio indica turbulências e muita animosidade dentro do PSB; partido já é visto como seita

Tibério: Garvásio é pequeno para ser comparado a RC Tibério: Garvásio é pequeno para ser comparado a RC

O clima de animosidade de hostilidade pura de confrontação aberta é tal dentro do PSB que qualquer faísca ameaça um incêndio e descamba para o confronto. Essa beligerância que domina o partido na Paraíba ficou bem nítida depois que o sucessor de Ricardo assumiu o Governo e resistiu entregar as rédeas da gestão para o Ex e para os partidários dele, cuja permanência integral da equipe anterior na administração aumentou mais ainda a disputa e acentuou a necessidade do sucessor dar identidade ao seu Governo para não se transformar em mero despachante de luxo como definiu um cardeal da ala azevedista.
 
Que o PSB já não é uno, não resta mais dúvida. O partido cresceu, fortaleceu-se com os embates eleitorais, mas deixou de exibir aquela autoridade plena a mandar e desmandar sem qualquer contestação como antigamente.
 
Agora existe outra força política dentro do PSB, que se fortalece a cada golpe da caneta e a cada publicação no DO, mostrando aos incautos navegantes de qual farol emana a luz que orienta o partido.
 
Depois do ruge-ruge do início de gestão, quando a superlotação do cine-jaguaribe quase mata por asfixia muita gente da plateia a paz voltou a reinar imposta pelo recado curto e grosso do presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino, alertando aos temerários que o governador era João.
 
Mas, agora uma sugestão de fora, do interior da cúpula nacional do partido sobre quem poderia ser candidato a prefeito de João Pessoa pela legenda avivou as labaredas e histéricos socialistas dispararam na defesa do nome do ex-governador em detrimento do deputado Gervásio Maia, que teria as bênçãos do presidente nacional, Carlos Siqueira, abrindo-se novamente uma zona de turbulência mostrando que Ricardo ainda deseja continuar sendo o mandachuva socialista e contaria com intransigentes defensores para não abrir mão dessa prerrogativa de chefe absoluto sem contestação e sem concorrência.
 
Ao fazer uma opção pelo nome de Gervásio, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, assanhou um vespeiro, mas teria feito também uma advertência sobre os muitos problemas que Ricardo terá de enfrentar na Justiça para se consolidar como candidato. 
 
Então, como medida preventiva seria inteligente ir trabalhando um substituto para qualquer eventualidade. Essa a mensagem embutida na sugestão de Siqueira que os socialista sequer ousam avaliar achando que tudo o que a Calvário revelou não vai resvalar para o ex-governador e ele será carregado em andor no retorno ao Passo Municipal.
 
Porém, essa precaução, essa cautela em relação ao futuro político de Ricardo, não encontrou ressonância naqueles setores mais radicais da legenda e vereadores  como Tibério Limeira saíram enfurecidos para defender o chefe e desmerecer a concorrência.
 
A reação de Tibério evidencia a dissidência interna e as dificuldades que João Azevedo terá pela frente para unir o partido em vista às eleições municipais. 
 
Para gente como Tibério ou Ricardo ou mais ninguém sem qualquer discussão prévia revelando o grau de fanatismo que domina o PSB, já visto por pessoas próximas ao governador como uma seita e não um partido político.
 

Fonte: Redação