Jampa News

19/11/2017 às 07:56

Paraibanos comemoram Dia da Consciência Negra cultuando e preservando as tradições afro-religiosas dos barsileiros

O Auto dos Orixás tem como objetivo celebrar a cultura brasileira a partir da identidade afro O Auto dos Orixás tem como objetivo celebrar a cultura brasileira a partir da identidade afro

Ainda bem que ainda existe de fato consciência negra e, ao contrário da Bahia, que homenageia a data com um cretino desfile de modas denominado Afro Fashion Day, a Paraíba exibe nesta segunda-feira em comemoração a data que homenageia as nossas tradições africanas um espetáculo teatral denominado Auto dos Orixás numa reverência ao panteão das divindades do Candomblé.
 
Mais uma vez a Paraíba que expulsou os holandeses e deu as primeiras demonstrações de nacionalidade ao país se coloca na vanguarda das manifestações populares, onde as raízes são preservadas e cultuadas e repassadas para as futuras gerações, como fica patente no espetáculo cujo título é um exemplo de respeito as nossas tradições afro-religiosas: Auto dos Orixás. (Jampanews)
 
 
Dia da Consciência Negra é celebrado com o espetáculo "Auto dos Orixás"
 
Nesta segunda-feira (20), dia em que se celebra a Consciência Negra, o  ponto de Cem Réis será palco do espetáculo "Auto dos Orixás - Celebrando o sagrado das nossas Crianças". O evento é realizado pelo Ateliê Multicultural Elioenai Gomes, com entrada franca, partir de 18h30. Reunindo poesia, teatro, dança, música e artes visuais, o espetáculo vai além da religiosidade afro brasileira. Trata-se de um ato público em forma de espetáculo que chega à sua sétima edição.
 
A abertura do espetáculo será feita pelo grupo Imburana, da UFPB. Em seguida, se apresentam os grupos Maracatu Bate Mulher, Pé de Elefante e Raízes. A cantora Polyana Resende entra em cena como uma das convidadas. Representando Oxalá, ela vai cantar ao lado do filho.
 
O espetáculo tem uma hora de duração e conta com coreografia de Luciana Peixoto. O figurino foi confeccionado por Lili Meireles e Sol Naya Nunes. A edição deste ano também traz participação do grupo Dinâmico Cultural, formado por pessoas de melhor idade. Há, ainda, a inclusão de seis pessoas com deficiência que estarão vivenciando, pela primeira vez, a cultura afro-brasileira sob coordenação de Albaniza Santos.  
 
Escrito, dirigido e produzido pelo artista visual paraibano Elioenai Gomes, que também assina o cenário e arte gráfica, o ‘Auto dos Orixás‘ deste ano conta com uma média de 150 pessoas envolvidas, sendo 15 crianças. A ideia é dar visibilidade à ‘Mãe Pequena‘, que é um cargo dentro do candomblé. De acordo com o tema, o espetáculo deste ano engaja a família e vem sendo montado de forma colaborativa e espontânea. Além dos artistas de João Pessoa, há participantes vindos de  Bayeux, Santa Rita e até de Natal (RN).
 
O Auto dos Orixás tem como objetivo celebrar a cultura brasileira a partir da identidade afro, dando visibilidade e estimulando o fortalecimento de uma rede de grupos/entidades e artistas da cultura popular paraibana. "O espetáculo não fala só de religiosidade. É um ato sobre a cultura brasileira já que a influência afro está no dia a dia – na palavra, na música, na comida... O Auto dos Orixás não é sobre preconceito nem vitimização do povo negro. Mostramos que somos negros empoderados. O tema deste ano celebra o sagrado das nossas crianças, lembrando que somos os seus guardiões, devemos protegê-las", explica Elioenai Gomes.  
 
Todos os grupos envolvidos no evento, liderados pelo Ateliê Multicultural, caracterizam seu trabalho por atuar não apenas em função da arte e cultura, mas também de direcioná-lo como ação de cunho político e sociológico
 
Serviço
 
Auto dos Orixás 2017(ano VII) - Celebrando o sagrado das nossas crianças
Data: 20/11, às 19h
Ponto de Cem Réis
Acesso: Gratuito
Realização: Ateliê Multicultural Elioenai Gomes
 

Fonte: Assessoria