Jampa News

10/10/2017 às 17:04

Paraíba é o estado com maior índice de trabalho infantil dos 10 aos 14 anos

Pedro tem como uma de suas principais bandeiras de luta a melhoria da Educação no País Pedro tem como uma de suas principais bandeiras de luta a melhoria da Educação no País

A Paraíba é o Estado brasileiro com maior número de crianças e adolescentes, na faixa etária dos 10 aos 14 anos, em situação de trabalho infantil. O dado foi revelado em um estudo da Fundação Abrinq, divulgado nesta terça-feira (10), que mostra que 8,9% da população nessa idade exerce alguma atividade trabalhista no Estado. "Essa é uma realidade muito preocupante, que revela as fragilidades das nossas políticas educacionais", comentou o deputado federal Pedro Cunha Lima.
 
A publicação "A criança e o adolescente nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) – marco zero dos principais indicadores brasileiros", mostra os principais desafios nacionais em relação à ampliação da educação infantil, a promoção da qualidade no ensino e a erradicação do trabalho infantil para o cumprimento dos ODS. Os dados foram coletados a partir da última Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (Pnad).
 
Além de ficar na pior posição nacional quanto ao trabalho infantil na faixa etária entre os 10 a 14 anos, a Paraíba ocupa a quarta pior colocação, quando se comparam os números de crianças e jovens ocupados entre 5 e 17 anos. Nesse caso, 6,6% das pessoas dentro dessa faixa etária exercem atividades de exploração ao trabalho infantil.
 
Analfabetismo – A pesquisa mostra também que 17,1% da população paraibana com mais de 15 anos é analfabeta. Esse percentual deixa o Estado entre os cinco do País com maiores índices de analfabetismo, ficando atrás do Alagoas (20%), Maranhão (18,8%), Piauí (18,2) e Ceará (17,3%).  
 
"Em plena semana da data dedicada às crianças, a Fundação Abrinq nos revela uma realidade dura do Brasil, que ainda deixa de investir em Educação – algo que realmente importa - para gastar rios de dinheiro com mordomias e supérfluos para manter estruturas muitas vezes inoperantes", opinou.  
 
Pedro tem como uma de suas principais bandeiras de luta a melhoria da Educação no País. Ele é autor de projetos importantes na área, como os que visam à valorização do magistério e o aumento de vagas em creches. Para ele, a pesquisa da Abrinq mostra uma terrível distorção entre as atividades que devem ser típicas de crianças – como brincar e estudar – para atribuições correspondentes à vida adulta.
 
 
Trabalho Infantil - População de 5 a 17 anos ocupada segundo faixas etárias
ESTADOS Total de 5 a 17 anos 5 a 9 15 a 17 10 a 14
Piauí 7,5% 1,8% 7,8% 23,9%
Sergipe 7,2% 1,1% 8,2% 22,3%
Rio Grande do Sul 6,9% 0,8% 4,4% 26,5%
Paraíba 6,6% 1,6% 8,9% 18,9%
Mato Grosso do Sul 6,6% 1,2% 3,0% 30,0%
BRASIL 5,0% 0,6% 3,5% 19,1%
    Fonte: IBGE –Pnad 2015                                                                                                  
 
 
População de 15 anos ou mais analfabetos
 
ESTADOS  
(%) ANALFABETOS
Alagoas 20
Maranhão 18,8
Piauí 18,2
Ceará 17,3
Paraíba 17,1
BRASIL           8 Fonte: IBGE/Pnad (2015). Elaboração: Fundação Abrinq
 

Fonte: Assessoria

Comentarios da notícia

Siga-nos noTwitter

Curta nosso Facebook