Jampa News

15/03/2019 às 21:25

PARAHYBA RIO MULHER volta pra casa: espetáculo inicia 2019 com circulação por cidades na Paraíba

A performance Parahyba Rio Mulher retorna à casa e, após uma turnê realizada no fim do ano passado por São Paulo e Bahia, inicia a agenda de 2019 com circulação por três municípios na Paraíba. 
 
Entre os dias 17 e 21 de março, o espetáculo passará pela Matriz – Mostra Feminina de Artes Cênicas, realizada pela Funesc em Sossêgo, pelo Centro Cultural Parque Casa da Pólvora, em João Pessoa e pelo Elas - Encontro de Mulheres em Artes de Guarabira, participando de eventos bastante significativos na agenda cultural do estado e com acesso gratuito.
 
A montagem, que tem no elenco Cely Farias, Jinarla, Kassandra Brandão e Natália Sá, se dedica a recontar o episódio da mudança de nome da Cidade de Parahyba, no seio da Revolução de 1930, a partir da história de Anayde Beiriz, protagonista do episódio que alterou os rumos da história da Paraíba e do Brasil, e sua relação com os fatos que levaram a capital do Estado a se chamar João Pessoa. À trajetória de Anayde, mulher que desafiou padrões em uma sociedade paraibana conservadora de quase cem anos atrás, conectam-se histórias de mulheres de ontem e de hoje, da Paraíba, do Brasil e do mundo, e, assim, desdobram-se ritos que desenham suas rotas. Na montagem, a ancestralidade é colocada em evidência para revelar não apenas um histórico de silenciamento e violência contra a mulher que vem perpassando gerações, mas também para reverenciar a força do sagrado feminino que conecta e convida a resistir e continuar as jornadas.
 
Parahyba Rio Mulher surge alinhada às pautas políticas e sociais do nosso tempo e às temáticas femininas e feministas tão necessárias, estabelecendo pontes. Entre passado, presente e futuro. Revisitando a história e atualizando os fatos através do olhar de protagonistas há muito silenciadas e violentadas, mas absolutamente potentes em transformar as próprias rotas e redesenhar os seus destinos. Entre o Sudeste e o Nordeste e as dinâmicas culturais que configuram a engrenagem que mobiliza o nosso país. Parahyba Rio Mulher é ativismo. É corpo e voz de mulher nas ruas. Pelo ser mulher, que hoje, acredita o grupo, está no lugar do desvendar, desbravar e deslindar uma série de potencialidades que as fizeram acreditar que não têm, ou que, se têm, é errado ter. Ser mulher, tornar-se mulher ou empoderar-se mulher é motor de vida indispensável para ocupar lugar na estrutura social que é preciso reconfigurar. Parahyba Rio Mulher estabelece pontes. Essas pontes promovem as trocas. As trocas possibilitam a renovação. 
 
E o rio segue em curso. A performance,que abriu seu processo ao público em agosto de 2018, no fim de semana comemorativo do aniversário da cidade de João Pessoa, estreou na Paraíba, com apresentações na capital do estado e em Patos, em setembro. O grupo realizou uma turnê-residência nos Estados de São Paulo, em novembro, e Bahia, em dezembro. Na cidade de São Paulo, esteve em temporada no Teatro de Contêiner e fez apresentações na Av. Paulista, além de realizar uma residência-artística com Eliana Monteiro (Teatro da Vertigem). Em seguida, o grupo circulou com apresentações em Campinas, São José dos Campos e Suzano, onde teve uma vivência artística com o Grupo de Teatro Contadores de Mentira. Em Salvador, a troca artística aconteceu com A Outra Companhia de Teatro e as apresentações foram realizadas em Plataforma, na UFBA, no Largo 02 de Julho e no Pelourinho.
 
Agora, Parahyba Rio Mulher se prepara para jorrar suas águas no sul do país, já que, em abril, fará apresentações no Festival de Teatro de Curitiba – FRINGE.
 
 
SERVIÇOS
17 de março: às 16h, em frente ao CRAS no município de Sossego
19 de março: às 19h30, no Centro Cultural Parque Casa da Pólvora, em João Pessoa
21 de março: às 18h, em frente ao Teatro Municipal de Guarabira
Classificação indicativa: Livre
Duração: 70 minutos
Entrada Gratuita
 
 
FICHA TÉCNICA
Idealização e Dramaturgismo: Natália Sá
Concepção: Cely Farias, Kassandra Brandão e Natália Sá
Performance, Dramaturgia e Textos: Cely Farias, Jinarla, Kassandra Brandão e Natália Sá
Direção Musical e Paisagem Sonora:Jinarla
Figurino: Ana Carolina Guedes
Produção: Gabriela Arruda
 
Confira o portifólio

Fonte: Ascom

Notícias + Lidas