Jampa News

16/05/2019 às 08:02

Manifestações gigantescas contaram com a presença dos filhos dos eleitores de Bolsonaro; esses já acordaram para o desastre que os pais promoveram

João Pessoa não destoou do Brasil e deu a sua contribuição gigantesca em defesa da Educação João Pessoa não destoou do Brasil e deu a sua contribuição gigantesca em defesa da Educação

Quando a estupidez é grande cega e tapa as ouças do idiota. São os sintomas apresentados pelo Incitatus que a obtusidade eleitoral das classes mais abastadas do país colocou na presidência para não ficar por baixo de Calígula, o primeiro na história a nomear uma cavalgadura para um cargo público.
 
O nosso Incitatus, distante do barulho ensurdecedor provocado pelas multidões que foram às ruas nessa quarta-feira realmente de fogo protestando  contra o desmonte irresponsável da Educação brasileira ainda não se apercebeu que no meio desse clamor estava a garotada de 15 anos, da qual ele debochou e cujos pais votaram nele, mas só agora quando o cursinho de Medicina não pode mais ser pago sem a ajuda do FIES, se conscientizaram da grande besteira que fizeram ao constatarem que não vão mais poder manter os filhos estudando para realizar o sonho de ser doutor.
 
O idiota fardado, que bate continência para o império americano, não sabe que os cortes na Educação vão atingir única e exclusivamente a manutenção das instituições de ensino penalizando as empresas terceirizadas, os fornecedores e prestadores de serviço, que deixarão de ser abastecidos por algo em torno de 100 milhões em se tratando apenas da Universidade Federal da Paraíba, aquela instituição que homens, como Zé Américo, tanto sonharam e idealizaram, e que tanto serviço já prestou aos paraibanos, qualificando profissionais como médicos, advogados, engenheiros, professores e tantos outros que deram e ainda poderão oferecer de contribuição ao desenvolvimento desse estado.
 
São apenas 100 milhões que correspondem aos 30% que a estupidez crônica desse idiota fardado vai impingir ao estado e aos paraibanos na sua cruzada pela destruição desse patrimônio fabuloso, que homens de visão construíram para esse país e que a insanidade de uma classe historicamente parasita promoveu a presidente para consumar esse ato de vandalismo.
 
Professores e funcionários não serão atingidos por esse trucidamento orçamentário; os cortes vão impedir o funcionamento da máquina administrativa das instituições superiores de ensino e os principais atingidos serão o comércio e as pequenas empresas prestadoras de serviço onde está alojada a maioria dos imbecis que votaram nele e seus filhos já começaram a reagir ao comparecer ontem as enormes manifestações de protesto numa reação que deve envergonhar seus genitores, aqueles manifestóides que invadiram ruas e avenidas, batendo panelas e piscando luzes das coberturas, pedindo o impeachment de Dilma, eles os grandes responsáveis por esse apagão mental que acometeu o Brasil e que resultou na eleição da estupidez monumental que responde pelo nome de JAIR BOLSONARO.
 
Levantamentos realizados por centrais sindicais e entidades estudantis apontam que a mobilização gigantesca realizada em todo o Brasil em defesa da Educação nesta quarta-feira (15) levou no mínimo 2 milhões de pessoas às ruas de cerca de 200 cidades de todos os estados, além do Distrito Federal. Os atos foram muito além das capitais, mobilizando também cidades menores e do interior.
 
Trata-se do maior ato popular desde a época do golpe que tirou do poder a presidente eleita democraticamente, Dilma Rousseff (PT). No geral, estudantes, professores e trabalhadores da área da Educação, além de simpatizantes da causa, disseram ‘não’ aos cortes de 30% anunciados pelo ministro Abraham Weintraub às universidades, bloqueio de verbas de bolsas de pesquisa e discursos ofensivos contra o conhecimento, a ciência e às ciências humanas.
 

Fonte: redação/portais