Jampa News

13/06/2018 às 07:12

Enquete do Polêmica confirma que Maranhão é o candidato menos rejeitado pelos paraibanos

Eles não conseguem acompanhar o Velho Eles não conseguem acompanhar o Velho

Cada vez mais definido o panorama político de 2018 onde a candidatura mais velha do Brasil provavelmente se mostra favorita na corrida pelo Palácio da Redenção. O senador José Maranhão tem surpreendido a todos com seu desempenho apesar dos seus 84 anos que, a princípio os adversários avaliaram como uma desvantagem porque passaria para o eleitor a ideia de ultrapassado, o que sondagens de bastidores estão desmentindo de forma avassaladora.
 
De acordo com números que vazaram de algumas pesquisas de bastidores – e vazaram intencionalmente – Maranhão estaria disparado na preferência do eleitor de forma tal que já é possível dizer que estará no segundo turno.
 
Agora, para corroborar o ditado popular de em cima de queda coice uma enquete promovida por um dos espaços mais acessados da internet, o Polêmica Paraíba, revela que a candidatura mais do que artificial do irmão do prefeito Luciano Cartaxo acrescida da presença como vice da esposa de outro prefeito, o de Campina Grande, Romero Rodrigues, não sensibilizou e muito menos entusiasmou pela total falta de sintonia com as expectativas do eleitor paraibano.
 
Lucélio atingiu o maior percentual de rejeição (45%) provavelmente pela ausência de discurso e de projetos como também pela descarada identidade com famílias e grupos políticos, o que deixaria explícito para o eleitor que não há compromisso da chapa com o povo e com o Estado sendo apenas um projeto de retomada do poder para efeitos particulares recheado de interesses nebulosos.
 
A rejeição a Lucélio não tem fundamentação científica nem declara a inviabilidade da sua pretensão, mas revela que seu nome foi de uma infelicidade atroz porque sinaliza as dificuldades que terá pela frente para viabilizá-lo acrescidas pela presença desastrada de uma figura feminina que foi retirada de seus afazeres domésticos e profissionais para ser artificializada como agente político.
 
Já a rejeição ao socialista João Azevedo expressa aquilo que o povo fareja quando percebe a falta de espontaneidade e de identidade no candidato e o associa apenas como um refugo político, alguém orientado para ser a repetição do que já existe e que insiste em não ter fim.
 
João lembra aquelas figurinhas de álbum repetidas e que o colecionador não lhe empresta nenhum valor. Apesar de ser o candidato mais antigo posto para apreciação do eleitor, ele não conseguiu ainda decolar e parece que não vai conseguir apesar do esforço descomunal que todo esquema vem fazendo para tirá-lo do chão.
 
João seria a tragédia repetida porque o governador insiste em se perpetuar seja pelo candidato ou pelo projeto numa exibição de narcisismo político que desperta a atenção de psicólogos e não se permite ver que o eleitor paraibano não vota em projetos, ele vota em pessoas, no candidato com identidade própria e não num papagaio adestrado a reproduzir o que lhe é ditado e imposto.
 
Por mais competente que seja o técnico João Azevedo lhe falta canja, carisma, traquejo político, e isso já foi identificado pelo povo que começa se mobilizar em direção a uma candidatura mais autêntica repleta de atributos que lhes são caros como capacidade e honradez, e isso não é difícil de identificar na figura venerável de velhos como Maranhão e por isso ele se sai com louvor em sondagens e enquetes.
 
A idade provecta, a experiência comprovada e a história de honradez faz de Maranhão o bom velhinho tão associado ao Papai Noel que impregna o imaginário de todo eleitor; além do mais qual o lar que não tem aquele senhor simpático, que ampara e aconselha a família nos bons e maus momentos, pois seria essa mistura de experiência e decência que estaria comovendo o eleitor.
 
Os demais não representam nada, nem pela rejeição nem pela aceitação. (Jampanews)
 
RESULTADO DA ENQUETE/REJEIÇÃO: 45% não votariam em Lucélio Cartaxo para governar a Paraíba
 
Com a aproximação do período de convenções partidárias, os partidos debatem e dialogam com outras siglas para formar chapas competitivas para a disputa eleitoral de outubro. Até o momento, cinco partidos/coligações lançaram pré-candidatura e enfrentam corrida por apoio político de prefeitos, vereadores e lideranças paraibanas.
 
O Polêmica Paraíba perguntou em quem os internautas NÃO votariam se a eleição tivesse acontecido neste fim de semana. Os nomes postos na disputa são João Azevedo, do PSB, que representa o projeto da atual gestão estadual; o senador e ex-governador José Maranhão (MDB), a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT), o irmão do prefeito de João Pessoa, Lucélio Cartaxo (PV) e Tárcio Teixeira, do PSOL.
 
Após 72 horas de consulta, 2542 internautas paraibanos participaram e rejeitaram majoritariamente o pré-candidato Lucélio Cartaxo, que recebeu 45% dos votos como a pessoa que NÃO seria escolhida para governar o estado. Em segundo lugar, ficou o pré-candidato do PSB, João Azevedo, que recebeu 33% dos votos de rejeição. José Maranhão recebeu 12% dos votos, seguido de Lígia Feliciano, que recebeu 6% e, por ultimo, aparece Tárcio Teixeira, como menos rejeitado, recebendo 5% dos votos.
 

Fonte: Redação/PolêmicaPB

Notícias + Lidas