Jampa News

07/07/2019 às 10:24

Brasil ocupa 99ª posição em proteção à criança e Pedro defende prioridade na primeira infância

Estudo da Organização Não Governamental Save the Children mostra que o Brasil ocupa a 99ª posição em um ranking de 176 nações sobre proteção à criança, se enquadrando atualmente no grupo de países classificados pela ONG como aqueles onde "algumas crianças estão perdendo sua infância". Para o deputado federal e presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, Pedro Cunha Lima (PSDB), é preciso que o Estado tome para si a responsabilidade de oferecer condições favoráveis de vida às crianças, sobretudo na garantia de uma educação de qualidade na primeira infância.
 
"As pessoas têm que entender, sobretudo os dirigentes deste País, que a educação na primeira infância é essencial para a garantia de vida. Investindo em educação, o Brasil iria garantir mais proteção e cuidado a milhares de brasileiros no seu período mais importante, a infância. Eu não vou deixar de lutar por isso. Nós precisamos transformar muita coisa nesse País, mas a educação tem que ser o primeiro item dessa lista. Por meio dela, teremos melhorias em todas as outras áreas", destacou o deputado.
 
De acordo com o estudo da Save the Children, apesar de ser a maior economia da América Latina, está atrás de Cuba, Chile, Argentina, Costa Rica, Uruguai, Peru, México, Equador e outros países no ranking. Também perde para a isolada Coreia do Norte (65º) e a conflagrada Palestina (84º). O Estado brasileiro demonstrou pouco progresso em sua capacidade de cuidar das crianças. No ranking de nações que mais melhoraram e prosperaram, ficou no 157º lugar.
 
Pedro lembrou ainda que dados da última avaliação nacional sobre o analfabetismo mostram que 56% das crianças com oito anos de idade não é capaz de ler adequadamente. "Esse é o motivo da ruína do nosso País. Não existe nenhum bem, nenhum componente mais importante em uma nação que o seu capital humano, que são as pessoas. É inconcebível estarmos em um país em que 30% das crianças mais pobres estão fora da creche", reforçou.
 
Como solução inicial para combater o problema, o deputado defendeu o aumento dos investimentos e das ações na primeira infância. Ele ressaltou que essa tem sido uma das principais bandeiras de seu mandato, mas que ainda anda na contramão da prioridade dos recursos do País.
 

Fonte: Assessoria

Notícias + Lidas