Jampa News

10/10/2018 às 08:07

Aplicativos de celulares teriam interferido no pleito de 2018; eles podem ter consagrado muitos campeões de voto

Com esse simples gesto muita coisa foi alterada nessa eleições Com esse simples gesto muita coisa foi alterada nessa eleições

Como em toda eleição há sempre murmúrios e suspeitas que têm por objetivo explicar ou denegrir resultados, e eles partem principalmente de quem perdeu as eleições. 
 
Nessa, eles não poderiam faltar e espalham-se como rastilho de pólvora e tratam de um assunto que os tempos modernos concederam aos dias de hoje e que servem para facilitar a vida das pessoas: os aplicativos de celulares, os famosos e cada vez mais usados APPs, com os quais a pessoa pode pagar qualquer conta, de água, de luz, de internet, enfim aquelas obrigações da vida moderna, de onde estiverem sem qualquer esforço ou risco de ser acusada de crime eleitoral.
 
Idealizados para facilitarem a vida das pessoas, esses recursos da tecnologia moderna teriam sido usados com muita intensidade nas eleições tanto aqui no estado como no resto do país, sem o controle dessa novidade pelas autoridades eleitorais.
 
Com um simples celular e um aplicativo como o “Recargapay” qualquer pessoa pode pagar, de onde estiver, conta de água, luz, internet, enfim, todo e qualquer compromisso financeiro, sem maiores delongas, muitos deles considerados crimes nos períodos eleitorais.
 
Aqueles recibos de água e luz, aquelas compras de cimentos, telha, areia, enfim, aquelas continhas, que infernizam a vida de muitos eleitores podem ser pagas a distância num piscar de olhos, pelo celular.
 
E esse recurso da modernidade vem sendo responsabilizado por interferirem em muitos resultados eleitorais sem que a fiscalização pudesse contê-lo em tempo hábil.
 
Na opinião de analista de resultados eleitorais, que costumam se apresentar depois que as urnas se pronunciam para dar sentido ao resultado, como verdadeiras pitonisas; desconfiam que, esses aplicativos influíram em muitos redutos na reta final da campanha de 2018, alterando resultados e constrangendo pesquisas.
 
O que seria proibido pela Lei Eleitoral - o pagamento de contas e ajuda em dinheiro para compra de material de construção, entre outros crimes, teria sido possível através desses recursos dos tempos modernos, que, apesar da evolução, não teria mudado em nada a índole de políticos espertalhões e de eleitores venais.
 
O cenário foi tão devastador para certas candidaturas, surpreendidas pela velocidade e quase anonimato dos aplicativos de celulares, que redutos fiéis mudaram o voto do dia para noite provocando uma reviravolta que desmoralizou as pesquisas de última hora e estarreceu os atingidos pelo resultado que saiu das urnas.
 
São apenas murmúrios e queixumes, mas eles têm um fundo de credibilidade porque algo que ninguém pode negar é que realmente se torna possível pagar contas, seja de quem for pelos aplicativos e eles teriam sido a grande novidade em termos de evolução dos métodos de corrupção eleitoral e teriam consagrado candidatos quase desconhecidos do ponto de vista eleitoral.
 
Como se disse antes são apenas murmúrios e suspeitas, ou choro de perdedor, mas que é possível é.
 
 
 
 
 

Fonte: Redação