João não tem pegada para nocautear, mas deve ganhar por pontos o combate com RC

Se for usada a linguagem do boxe para fazer uma analogia com o estilo político do governador João Azevedo, ele pode ser comparado aquele lutador que ganha por pontos os duelos no ringue pela falta de potência nos golpes, quase nunca chegando ao nocaute, decepcionando a plateia, que prefere esse tipo de desfecho.

João é aquele lutador que só ganha por pontos

Mesmo mostrando habilidade, técnica refinada, esse tipo de lutador não empolga tanto por nunca alcançar o nocaute deixando, ao final dos combates, aquela sensação de frustração por algo que podia ter acontecido e não aconteceu em razão daquele pingo de potencia necessária para levar o oponente à lona.

João tem se saído bem no confronto com Ricardo, dominando o centro do ringue, esgueirando-se dos ataques furiosos do contendor, empurrando-o para as cordas, mas desperdiçando as oportunidades de nocauteá-lo, de jogá-lo à lona, como se espera de um verdadeiro campeão.

Falta potência aos golpes de João para derrubar o adversário

Deve ganhar o combate, mas por pontos, correndo o risco de ser surpreendido por um golpe de sorte, daqueles que mudam a história de um combate inesperadamente, o que seria devastador para sua principiante carreira.

O que se viu hoje como resultado da reunião quase secreta foi essa postura de hesitação para definir uma situação que, aos olhos dos mais destemidos, como o deputado Adriano Galdino, já não se sustenta e precisa de um desfecho, que se iniciaria por abrir espaços para quem não faz parte da confraria dos girassóis raízes.

O que se pode apreender da reunião de hoje no Centro de Ensino é que o governador demonstrou, mais uma vez, não ter aquela pegada necessária para derrubar o oponente e continua se esgueirando no ringue, apostando vencer pelo cansaço.

Estratégia de João não empolga a platéia

A repercussão dessa estratégia ainda não foi avaliada junto às camadas politicas, em suspense para saber de que lado João vai ficar. O nó da questão não foi rompido e os espaços continuam congestionados pela força-tarefa dos girassóis raízes, aboletados com todas as honras na máquina pública a dar ordens e a peitar Sua Excelência.

Os espaços permanecem preenchidos pelos que arrotam privilégios; e lideranças do porte de vereadores, ou qualquer um que tenha meia dúzia de votos, continuará apontando o dedo para João, ele que não tem nenhum.

Ao contrário de César, João não atravessou o Rubicão.

Leave a comment