Adriano Galdino confirma que tem secretário trabalhando para a Paraíba avançar e tem secretário trabalhando contra o avanço do desenvolvimento

O deputado e presidente da Assembleia Legislativa Adrian Galdino fez uma observação curiosa quando enaltecia a iniciativa do governador João Azevedo de incluir no orçamento de 2020, as emendas impositivas que, pela primeira vez contemplará todos os deputados, independente de legendas.

Adriano reconhece que tem auxiliar marcando gol contra

Adriano considerou isso um avanço histórico pelo inusitado da matéria e pelo significado republicano, onde a democracia e a disposição para a convivência é exaltada confirmando a vocação para o diálogo de um governante que assumiu enfrentando barreiras e indisposições de adversários e principalmente de aliados.

Mas, o que chamou a atenção para o discurso do presidente da Assembleia Legislativa foi a critica, áspera, ao comportamento interno do Governo, onde para ele tem secretários querendo trabalhar e outros que nem querem nem deixam o Governo trabalhar.

Segundo Adriano, a crise no PSB espalhou-se para dentro do Governo e criou uma divisão, onde uma parte da equipe trabalha para ajudar a Paraíba avançar e outra trabalhando para impedir ou atrapalhar esse avanço.

Seriam situações bastante graves, manifestamente visíveis dentro do Governo onde o conflito agora se estabelece entre pastas, e dentro de pastas, uma queda de braço que tem comprometido e muito o desempenho da gestão de João.

Deputado alerta para s complicações da Operação Calvário

O relato e a advertência do deputado encontram eco e exemplo dentro da Secretaria de Segurança Pública, onde as relações entre o Secretário Jean Nunes e o comandante geral da PM coronel Euller Chaves, segundo informações de graduados assessores, seriam de cristais quebrados, principalmente depois que um agente, lotado no gabinete do comandante, foi flagrado espionando a intimidade da Secretaria e haveria relatórios apontando para atividades, que não poupariam nem a família do secretário.

Essa disputa, que aponta para a quebra de confiança entre o titular da Segurança e seu subordinado, seria extensiva a outros setores do Governo e estaria se agravando diante da hesitação do governador para coibir essa guerrilha marcada por escaramuças, que violam a legalidade como seria o caso da espionagem interna.

Adriano reconhece que a Operação Calvário vem complicando e atrapalhando a gestão de João e que é preciso se posicionar diante dela.

Leave a comment