Fundador: Arlindo Almeida
POLÍTICA ECONOMIA ENTREVISTA SAÚDE EDUCAÇÃO CULTURA GERAL INTERNACIONAL POLICIAL COLABORADORES
 
04/03/2011
Mandante: Manoel Junior é alvo de denúncias sobre envolvimento com grupos de extermínio

A atuação dos grupos de extermínio na Paraíba continua a fazer vítimas. Dessa vez o "atingido" pelos estilhaços das execuções sumárias foi o deputado federal Manoel Junior, pré-candidato a prefeitura da capital pelo PMDB, acusado de ter encomendado a morte de um desafeto político na sua área de atuação o municipio de Pedras de Fogo, fronteira com Pernambuco, onde o parlamentar já foi prefeito.

Uma das testemunhas do caso Manoel Mattos fez hoje uma denúncia grave no Correio Debate da 98 FM. Ele acusou o deputado federal Manoel Júnior (PMDB) de ter encomendado a morte de um vereador de Pedras de Fogo. Segundo o relato de Absom Alves de Mattos, o crime teria custado R$ 40 mil.

- Eu venho fazendo várias denúncias sobre esses grupos de extermínio que têm desde juízes, promotores, policiais militares. Tem um deputado federal, inclusive, até pagou… e eu vou relatar porque estou para ser executado e eu quero que gravem isso porque a qualquer momento posso ser assassinado. Teve um deputado federal de Pedras de Fogo e eu vou relatar o nome para que ele entre com um processo contra mim, chamado Manoel Júnior que executou um vereador de Pedras de Fogo por R$ 40 mil.

Absom acrescentou que vem sofrendo constantes ameaças e pediu proteção policial ao secretário de Segurança Pública da Paraíba, Cláudio Lima. Até agora, segundo ele, nenhuma providência foi tomada pelas autoridades de Segurança para garantir sua integridade.

Manoel Mattos, que era filiado ao PT, foi assassinato a tiros na praia de Pitimbu no dia 24 de janeiro de 2009. O advogado foi morto com dois disparos de uma arma de grosso calibre. Ele era conhecido por fazer denúncias contra grupos de extermínio e crimes de pistolagem na Zona da Mata de Pernambuco. Chegou a passar um ano com escolta policial, após sofrer constantes ameaças de morte. Perdeu o direito à escolta em janeiro, quando terminou seu mandato como vereador.

Manoel Junior pede que primo de Manoel Matos seja protegido pela PF

O Deputado Federal Manoel Junior foi acusado no início da tarde de hoje, de ter encomendado o assassinato de um vereador da cidade de Pedras de Fogo. O autor da denúncia foi Absom Alves de Mattos, primo do advogado Manoel Matos, que foi assassinado em janeiro de 2009. A denúncia foi feita no Programa Correio Debate, da Rádio Correio FM.

Diante da denúncia, o Deputado Federal negou a acusação e procurou imediatamente a Assessoria do Ministro Eduardo Cardozo para pedir que Absom Mattos seja incluído no serviço de proteção à testemunhas.

Ainda durante a tarde, Manoel Junior viajou para João Pessoa e, assim que chegou à Capital paraibana dirigiu-se à sede da Polícia Federal para prestar depoimento espontâneo sobre a acusação. Em depoimento, o Deputado disse temer que seus adversários matem Absom Mattos para incriminá-lo.

Segundo Manoel Junior, seus adversários já falsificaram atas, invadiram sedes de partidos e atentaram contra a vida de secretário de estado. Para o Deputado, essas pessoas podem ter instruído Absom Mattos à acusá-lo e as mesmas pessoas são capazes de matar a testemunha para prejudicá-lo.


Fonte:
Redação com portais
 
  Pesquisa
 
  Quem Somos   l   Anuncie   l   Expediente   l   Fale conosco  
Edifício Carlota III, Alameda Augusto dos Anjos, 2° andar, sala 206
Centro, João Pessoa - PB
Telefone: (83) 3043.9551